Topo

Esporte

Tyron Woodley projeta confronto com Nate Diaz em julho: "Mais provável do que imaginam"

Ag. Fight

Ag. Fight

07/02/2018 14h34

Tyron Woodley não esconde o seu desejo de realizar sua quarta defesa do cinturão dos meio-médios (77 kg) contra Nate Diaz. No entanto, o ex-rival de Conor McGregor parece não compartilhar do mesmo interesse, o que não parece afetar o campeão. Tanto que o veterano já projeta seu retorno ao octógono pode acontecer em julho, justamente contra o seu 'adversário ideal'.

De acordo com o próprio campeão, os lutadores estiveram perto de se enfrentar no ano passado, no UFC 219. Porém, a quantia exigida por Diaz para aceitar o confronto - 15 milhões de dólares (cerca de R$ 50 milhões) - esfriou as negociações. Com isso, Woodley garantiu, em entrevista ao canal americano 'ESPN', que o duelo precisaria compensar financeiramente para o americano e que é possível que os atletas cheguem a um acordo para se enfrentarem em um grande card no meio do ano.

"Acho que essa luta vai acontecer. Deve acontecer esse ano. É mais provável do que as pessoas imaginam. Existem conversas sobre Nate e eu lutarmos em julho. O UFC ofereceu ao Nate essa luta. Só precisa valer a pena. Acho que lutarei com Nate esse ano e acho que será o meu retorno ao octógono. Se eu tiver que apostar, esse é o meu próximo oponente. Se eu acho que Nate lutará comigo? Sim, se for por uma grande quantia no momento certo, acho. É uma boa luta para ele? Não", prometeu o atual campeão.

"Sou muito mais rápido. Meu soco é mais pesado. Posso derrubá-lo. Ele não vai me finalizar. Dito isso, não é uma boa luta para ele. Então, terão que fazer valer a pena em dólares e centavos. Quero fazer algo que irá impulsionar a minha carreira e o meu legado. Preciso dos dois. Preciso de superlutas e preciso continuar nocauteando esses desafiantes em ascensão. Luto com os melhores desde o Strikeforce. Não é que eu esteja pedindo por algo que não mostrei. Mereço essa posição".

Depois de passar por uma cirurgia no ombro, o retorno de Woodley ao octógono se tornou incerto. Sua última defesa aconteceu em julho passado, quando ele venceu o brasileiro Demian Maia por decisão unânime dos juízes laterais. Ao longo de sua carreira, o atual campeão acumula 18 vitórias, três derrotas e um empate.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte