Topo

MMA

Emocionado, Rani Yahya dedica vitória para mãe falecida: "Minha maior fã"

Julio Cesar Guimarães/UOL
Imagem: Julio Cesar Guimarães/UOL

Ag. Fight

Ag. Fight

25/02/2018 16h06

Disputado nesse sábado (24), em Orlando, o UFC on Fox 28 reservou algumas fortes emoções aos fãs de MMA que estiveram no Amway Center. E uma delas foi protagonizada por Rani Yahya, que finalizou Russell Doane no terceiro round da terceira luta da noite.

Acontece que o brasileiro teve que passar por um momento extremamente delicado apenas alguns dias antes do UFC Orlando. A mãe de Rani Yahya faleceu semanas antes do evento e ele teve que deixar de lado esse momento de dor para subir ao octógono. Após a luta, o brasiliense aproveitou para dedicar o triunfo e garantir que jamais pensou em desistir.

"A todo momento eu sabia que eu iria subir ali, porque minha mãe era muito orgulhosa de mim. Ela sempre me motivava e vinha assistir minhas lutas. Era a minha maior fã. Não tinha como eu desistir. No fim das contas, foi triste para mim, mas me deu muita motivação para vir aqui e dedicar essa vitória para minha mãe", desabafou o brasileiro a um grupo de jornalistas nos bastidores do UFC Orlando.

Falando sobre a luta, Rani confessou que esperava que o duelo chegasse ao fim antes do que isso de fato aconteceu. Tudo por conta de uma posição que Yahya colocou seu adversário ainda no primeiro assalto, quase finalizando pela cervical. Naquele momento, o atleta brasiliense confessou que quase pediu pelo fim da peleja.

"Fiquei extremamente surpreso (com a resistência de Doane). Nunca vi alguém superar aquela posição. Estava quase pedindo para o árbitro parar, porque aquilo pode causar uma séria lesão. Mas ele mostrou o nível que estamos no UFC. Somos todos guerreiros", afirmou.

E, mesmo tendo vivido um drama recente, Rani não pensa em ficar muito longe afastado do octógono. Segundo o próprio atleta, por ter saído do combate sem lesões, ele quer voltar a se apresentar no UFC 224, no Rio, ou no UFC Chile - ambos eventos programados para maio.

"Quero dedicar um tempo para minha família sim, claro. Mas hoje eu lutei por três rounds e me senti muito bem. Antes eu ficava muito cansado, mas não cansei mesmo. Não tenho lesões e acho que estou pronto para outra luta. Vou falar com Sean Shelby e meu empresário. Mas talvez lutar no Rio ou no Chile seja uma boa".

Aos 33 anos, Rani Yahya possui um cartel com 25 vitórias, nove derrotas e uma luta sem resultado. Em suas últimas sete apresentações, o brasiliense deixou o octógono com o braço erguido em seis ocasiões.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!