Topo

MMA

Quase dois anos sem lutar, Cat Zingano exalta período afastado do octógono

Reprodução
Imagem: Reprodução

Ag. Fight

28/02/2018 10h00

No próximo sábado (3), Cat Zingano subirá no octógono do UFC 222, evento que será realizado em Las Vegas (EUA), para enfrentar Ketlen Vieira depois de quase dois anos sem lutar. A última vez que a peso-galo (61 kg) se apresentou foi em julho de 2016, quando foi derrotada por Julianna Peña. E, apesar de estar um bom tempo afastada do cage, engana-se quem pensa que o período longe dos combates preocupam a americana.

Durante uma entrevista ao site 'MMA Fighting', Zingano apontou que essa fase sem se apresentar oficialmente foi necessária para que ela pudesse descansar o corpo e acalmar a mente. Afinal de contas, depois de vencer nove lutas consecutivas - sendo oito triunfos sem a necessidade das papeletas dos juízes laterais - a americana perdeu a invencibilidade na carreira e sofreu duas derrotas seguidas.

"Acho que eu precisei tirar esse tempo para colocar minha cabeça e meu corpo no lugar certo. Muitas coisas aconteceram nesses últimos anos. Eu tive que trabalhar e fazer ajustes constantemente. E tudo que eu podia pensar em fazer para ter mais sucesso eu fiz. Muitas coisas foram experimentos, tentando coisas diferentes. Literalmente fazendo tudo o que eu podia. Agora, sinto que eu posso sair lá e me apresentar no nível que eu tenho. Sinto que tudo está na melhor forma possível e eu estou empolgada e motivada. Chegou a hora", declarou.

"Não diria que eu fiquei desmotivada, acho que apenas tinha outras coisas para trabalhar. Eu precisava desse tempo, mas não fui dura comigo mesma, porque vi coisas que eu estava feliz com as minhas performances. Existiam coisas que eu precisava trabalhar, algumas que eu precisava deixar de lado para seguir em frente e foi isso que eu fiz. Foi um tempo para me curar de diferentes maneiras, para me tornar uma atleta e pessoa melhor. Tenho seguido os mesmos objetivos durante a minha vida inteira".

Contratada pelo UFC em 2013, Zingano estreou na companhia com vitória por nocaute em cima de ninguém menos que Miesha Tate. Na sua segunda apresentação na organização, a americana voltou a vencer - dessa vez contra a atual campeã, Amanda Nunes. Resta saber se o período afastado do octógono realmente fez bem para a lutadora.