Topo

Esporte

O mundo dá voltas! Após anos de frustrações, Cris 'Cyborg' salva evento do UFC

Ag. Fight

03/03/2018 06h00

Nada como um dia após o outro! Essa frase poderia muito bem ter se tornado uma espécie de mantra para a brasileira Cris 'Cyborg', campeã peso-pena (66 kg) que travou diversas polêmicas públicas com o presidente do UFC Dana White. Isso porque, depois de anos de frustrações, a curitibana não apenas defenderá seu cinturão em um novo main event da entidade como também vai entrar para o seleto grupo de competidores que já salvaram um card da organização.

De folga na Europa até três semanas atrás, onde dava seminários após a vitória por pontos sobre a americana Holly Holm em dezembro passado, Cyborg recebeu o inusitado convite para se apresentar neste sábado (3) contra a russa Yana Kunitskaya para garantir a realização do card - até então ameaçado após o corte do lesionado campeão Max Holloway. E como ela mesma revelou, sua primeira resposta foi negativa.

No entanto, após a insistência da organização - o que deve ter se refletido em um aumento de sua bolsa -, Cris, única campeã apta a se apresentar e assim cumprir a exigência do canal americano FOX em ter um cinturão em jogo em eventos numerados, estendeu à mão à empresa que por anos trabalhou para minimizar a sua existência no esporte.

Poucas temporadas atrás, Cyborg, ainda competidora de organizações rivais, era criticada publicamente por Dana White, que parecia não enxergar nela grande potencial de retorno financeiro. Mais tarde, entraves nas negociações de uma possível contratação pioraram o clima entre eles, o que foi novamente exposto nas frustradas tentativas do casamento de sua luta contra a então campeã Ronda Rousey, assim como na exitante criação da categoria dos pesos-penas no evento.

Durante esses percalços, o que não faltou foi bate boca, mensagens atravessadas entre ambos e muita má vontade em uma reconciliação, que só pareceu possível quando a brasileira finalmente pôde lutar na sua divisão até 66 kg, defender seu cinturão e liderar um card em Las Vegas - feito combinado esse que só foi realizado em dezembro de 2017, após cerca de quatro anos de desavenças.

Três meses depois, Cyborg prova que tudo isso apenas atrasou a construção de seu legado ao colocar em risco sua invencibilidade de quase 13 anos no esporte para salvar um card do UFC. Fica a lição: o que ela não poderia já ter feito pela organização caso suas brigas com o cartola tivessem sido deixadas de lado anos atrás?

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte