Topo

Esporte

Superado por Ortega, 'Moicano' torce para que algoz conquiste cinturão do UFC

Lucas Rezente, de Belém (PA)

Ag. Fight

15/03/2018 12h25

Peso-pena (66 kg) do UFC, Renato 'Moicano' Carneiro estava invicto em sua carreira profissional - com 11 vitórias e nenhuma derrota - três delas dentro do octógono. No entanto, em sua quarta atuação, o brasiliense acabou finalizado pelo norte-americano Brian Ortega em um combate que estava vencendo até o momento da virada. Posteriormente, Ortega veio a nocautear Frankie Edgar - ex-campeão peso-leve (70 kg) - e agora é o próximo postulante ao cinturão dos penas.

Em entrevista exclusiva para a Ag. Fight, Renato afirmou não ter se abalado com a derrota e surpreendeu ao garantir que torcerá para que o algoz consiga vencer o atual campeão Max Holloway. Uma tarefa que, segundo o brasileiro, Ortega tem poucas chances de conseguir cumprir.

"Não procuro pensar nisso (derrota para Ortega). Vou chegar ao meu momento de disputar o cinturão. Só preciso trilhar meu caminho de novo e continuar fazendo o que sempre fiz, que foi ganhar lutas. Minha hora vai chegar, não tenho dúvidas. Ver ele disputando o cinturão só mostra que eu estou no nível desses caras, de chegar no top 5", disse o brasiliense.

"Mostrei que vim para ficar. Eu fico feliz de ver o Ortega vencendo. Além de ser um excelente atleta, ele veio falar comigo depois da luta e é um cara muito tranquilo. Tomara que ele vença o Max Holloway, apesar de eu achar um pouco difícil que ele consiga vencer", completou.

Embora esteja de combate marcado para o próximo dia 7 de abril contra o americano Calvin Kattar, Moicano não descartou uma possível revanche contra Ortega em um futuro próximo, independente de Brian portar o cinturão da categoria.

"Acredito que uma vitória sempre é importante. Independente de revanche ou não, meu objetivo é sempre vencer. Eu estou sempre focado na vitória, não importa o que está acontecendo na divisão. Acredito que vencendo essa luta (contra Kattar), ficaria bem posicionado na divisão outra vez. Essa revanche com o Ortega é algo interessante, com ele vencendo ou cinturão ou não. O que me importa é vencer, não importa quem", destacou.

Afastado do UFC desde julho de 2017, Moicano explicou que o motivo da ausência foi uma lesão facial que o impediu de treinar por seis meses. De volta, Renato diz garantir que o impedimento não influenciará negativamente em seu retorno. Agendado para o terceiro confronto mais importante de um card pay per view, o brasiliense alega não sentir pressão alguma para se apresentar bem. Inclusive, o lutador se diz lisonjeado e espera proporcionar um espetáculo para retribuir a confiança dos fãs.

"Não me sinto pressionado, me sinto lisonjeado. Sempre que perguntam se vou lutar com um cara duro ou num card principal, eu digo que me sinto feliz e agradecido por ter chegado até aqui. Me sinto com vontade de retribuir muito mais a todo mundo que deposita confiança em mim. Os preparativos pra luta estão muito bons. O Calvin é um atleta excelente, um cara muito duro. Estamos treinando da melhor maneira possível para dar um show no dia 7 de abril".

Renato Moicano enfrentará Calvin Kattar pelo UFC 223, no dia 7 de abril em Nova Iorque (EUA). O card será encabeçado pela disputa do cinturão dos leves entre Tony Ferguson e Khabib Nurmagomedov. O co-evento principal estrelará um confronto pelo título peso-palha feminino (52 kg) entre a campeã Rose Namajunas e a ex-campeã Joanna Jedrzejczyk.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte