Topo

Esporte

À espera de julgamento da USADA, Anderson Silva cogita disputar cinturão do UFC

Ag. Fight

Ag. Fight

19/03/2018 14h00

Afastado do octógono desde fevereiro de 2017 - quando venceu Derek Brunson por decisão unânime - o ex-campeão peso-médio (84 kg) do UFC Anderson Silva não descarta um retorno às cabeças da categoria, ou até mesmo uma possível disputa de cinturão, mesmo às vésperas de completar 43 anos de idade.

Flagrado pelo exame antidoping no final de 2017, o 'Spider' teve de se retirar do combate agendado contra Kelvin Gastelum para o dia 25 de novembro - quando testou positivo para a substância metiltestosterona, um esteroide anabolizante e diurético. No entanto, em entrevista concedida ao site 'Globo Esporte', Silva reforçou que seu contrato no UFC está ativo e afirma que o momento é de espera.

"Eu me vejo feliz com tudo que conquistei, com tudo que venho fazendo ainda dentro do esporte. Nada é para sempre. Continuo com meu contrato com UFC, ainda bastante feliz. Só o tempo pode dizer. Eu estou bem, treino todos os dias, sou um cara saudável. O negócio é aguardar. Estou ali na categoria e pode ser que haja uma oportunidade de lutar de novo pelo título", revelou ao site.

Atualmente no aguardo do julgamento e possível punição da USADA, Silva afirmou que o cinturão não seria mais uma novidade em sua carreira e reserva sua torcida para que o compatriota e amigo Ronaldo 'Jacaré' possa alcançar uma chance de disputar o título da categoria.

"O cinturão foi algo pelo que já passei, não vejo mais como uma novidade. Eu acho que ele (Jacaré), mais do que merece, é digno desse título. Mas é difícil. Quando não se é o dono da bola, tem que jogar conforme o dono da bola. Tem que esperar. Espero que ele consiga realizar esse sonho", narrou.

Ainda sem data marcada para sua defesa, Anderson Silva espera ser julgado como réu primário pelo exame positivo. Embora tenha falhado em outro teste antidoping em janeiro de 2015 - quando sua vitória por decisão dos jurados sobre Nick Diaz acabou anulada -, a USADA ainda não era o órgão regente para o assunto no UFC. Na época, a responsabilidade cabia apenas à Comissão Atlética de Nevada (NAC).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte