Topo

Esporte

Raquel Pennington promete provar seu valor no octógono: "Parem de me subestimar"

Lais Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

20/03/2018 14h51

De confronto marcado para o UFC 224 no próximo 12 de maio na cidade do Rio de Janeiro, a desafiante ao título do peso-galo (61 kg) Raquel Pennington terá sua chance de tomar o cinturão da campeã Amanda Nunes. No entanto, apesar do momento positivo na carreira - com quatro vitórias consecutivas, a última sobre a ex-campeã Miesha Tate - 'Rocky' afirmou que se sente cansada por não ser levada a sério dentro da organização. E durante coletiva de imprensa para promover o card realizada nesta terça-feira (20), a americana abordou este assunto sem rodeios.

Sob risco de perder o confronto pelo título após fraturar a perna em um acidente de quadriciclo em outubro de 2017, Raquel chegou perto de ver sua chance escorrer pelos dedos quando Amanda avisou que não queria esperar muito tempo para lutar novamente, o que rapidamente fez ventilar rumores sobre uma superluta com a campeã peso-pena (66 kg) Cris 'Cyborg'. Para sua sorte, ela foi capaz de se recuperar a tempo e o combate permaneceu de pé. Agora, a desafiante se diz pronta para voltar à ativa.

"Para mim foi muito frustrante, eu fiquei muito frustrada. Estavam falando muito sobre Amanda e Cris e eu tinha passado por algumas lesões nesse último ano, mas sinto que mereço a oportunidade e queria voltar por causa disso. Eu sei que me machuquei e Amanda disse que não queria esperar muito para lutar e eu entendo isso perfeitamente, mas para mim o casamento faz sentido. É hora de movimentar a divisão agora", analisou durante a conversa.

Os rumores sobre a possível superluta entre Amanda Nunes e Cris Cyborg vir a acontecer após o UFC 224 é outro tópico que parece incomodar Pennington. Por soarem como se a brasileira fosse vencê-la com facilidade e já cogitaram datas para o duelo entre  as campeãs, 'Rocky' afirmou estar cansada do rótulo de 'zebra', embora goste de não ter de lidar com a pressão de ser a favorita nas casas de apostas.

"É algo com o qual já estou acostumada. Tira um pouco da pressão sobre mim, posso ir lá e me divertir. Se é algo que eu estou muito cansada de vivenciar? Sim. Estou em uma missão para provar meu valor e as pessoas realmente precisam parar de me subestimar", alertou a americana.

Ao lado de Amanda Nunes em uma foto postada na última segunda-feira (19) pela campeã no Instagram, quando as duas jantavam no hotel Copacabana Palace - acompanhadas por Nina Ansaroff e Tecia Torres, namorada de Amanda e noiva de Raquel, respectivamente - 'Rocky' foi questionada sobre o clima amistosa antes da luta. Em resposta, a americana avisou que preza pela amizade e o espírito esportivo, mas que dentro da jaula a história é outra.

"Nós nos conhecemos por causa desse esporte, então é uma daquelas coisas. Dentro do octógono são apenas negócios. Uma vez que a porta da jaula se fechar é outra história, mas agora nós temos respeito, esportividade e amizade. Estive próxima da Amanda por muito tempo em alguns cards do Invicta e claro já a vi lutar no UFC. Quando se fala do esporte, eu sou muito consciente sobre as minhas adversárias. Passo muito tempo focando em mim, então o que faço é me esforçar para dar o meu melhor", respondeu Pennington.

Além de Miesha Tate, Raquel Pennington já bateu as brasileiras Jéssica Andrade e Bethe Correia e a compatriota Elizabeth Phillips em sua atual sequência de vitórias. Sua última derrota - ocorrida em fevereiro de 2015 - foi para a ex-campeã Holly Holm.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte