Topo

Esporte

Joanna elege revanche com Namajunas como luta mais importante da carreira

Ag. Fight

28/03/2018 12h32

A última atuação de Joanna Jedrzejczyk no UFC ficou longe do que a atleta esperava. No UFC 217, realizado em novembro passado, a polonesa poderia igualar o recorde de Ronda Rousey como campeã com mais defesas bem-sucedidas no octógono. No entanto, a lutadora acabou nocauteada por Rose Namajunas ainda no primeiro round do confronto. Agora, com revanche marcada para o próximo dia 7 de abril, no UFC 223, a peso-palha (52 kg) garantiu que esta será a atuação mais importante do seu legado.

Apesar do nocaute sofrido praticamente na metade do primeiro round em novembro passado, Joanna opinou que ganhar uma luta rápida assim não é difícil. Em entrevista ao site 'MMANytt', a ex-campeã ressaltou a força de Namajunas, mas assegurou que o duelo em novembro passado foi apenas uma batalha no meio das guerras que já realizou como profissional e como dona do cinturão da categoria.

"Tenho muito respeito pela Rose Namajunas, assim como tinha antes da nossa primeira luta. Não a desrespeitei. A questão é: qualquer um pode ganhar uma luta rápida, curta. Claro que ela fez de maneira perfeita. Ela me socou, foi precisa e teve força o suficiente naquela noite para me nocautear. Mas, como eu disse, não era uma competidora naquela noite. Tinha passado por muitas guerras. Ela pode ter vencido uma batalha, mas não vai vencer a guerra. Eu vencerei no dia 7 de abril", garantiu a polonesa.

"Você pode construir um legado e o seu legado ser grande. Mas mesmo que você tropece ou caia, você aprende e o seu legado fica ainda maior. Essa luta, essa única luta no dia 7 de abril, e a vitória serão maiores que todas as minhas lutas no UFC".

A derrota para a americana foi a primeira em toda a carreira de Joanna - até o confronto no UFC 217, a polonesa havia vencido os 14 combates disputados no MMA. Para o seu segundo confronto com Namajunas em apenas seis meses, a ex-campeã enfatizou a importância de se levantar depois de uma queda e já pensou para quem dedicará a sua vitória, caso ela aconteça.

"Todos nós podemos cair. Vou dedicar essa luta para as pessoas que caíram e não tem forças para se levantar. Vou mostrar para essas pessoas que vale a pena. Vou me levantar. Já me levantei, vou mostrar que vale a pena. Vale a pena se levantar e lutar", concluiu.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte