Topo

MMA

"Cara de Sapato" critica ranking do UFC e vê luta de alto nível com Boetsch

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Antônio Cara de Sapato finaliza Jack Marshman no UFC São Paulo Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Lucas Rezende, em Belém (PA)

Ag. Fight

03/04/2018 06h00

Campeão da terceira edição do TUF Brasil, Antônio Carlos "Cara de Sapato" está com data marcada para encarar o veterano Tim Boetsch no próximo dia 14 de abril em Glendale, Arizona (EUA). Embora nenhum dos dois lutadores figure no top 15 do peso-médio (84 kg), o paraibano ainda aponta este combate como fundamental para sua meta de chegar a uma disputa de cinturão da categoria.

Em boa fase dentro do octógono, Cara de Sapato terá chance de conquistar a quinta vitória consecutiva (apenas uma atrás do atual campeão Robert Whittaker) e a primeira sobre um nome renomado do UFC. Ao longo de sua carreira, Tim Boetsch já venceu 11 vezes por nocaute e dividiu o cage com lutadores de peso como Ronaldo 'Jacaré' Souza, Johny Hendricks, Dan Henderson e Luke Rockhold. Por isso, Antônio vê a oportunidade como um grande teste.

"Estou muito feliz de enfrentar um veterano do UFC. Ele não está ranqueado no momento, mas eu até acho esse ranking muito falho, porque acredito que eu e ele poderíamos estar ranqueados e não estamos. Ele é um excelente lutador. Já lutou com os melhores e tem muita experiência. É uma pedreira na categoria. Adoro grandes desafios. Quero vencer mais um e ficar com cinco vitórias consecutivas e continuar meu caminho em busca do cinturão", declarou.

Apesar de duas vitórias por nocaute dentro da casa do TUF Brasil, Antônio não conseguiu reproduzir os feitos em sua carreira profissional (os combates do reality show contam apenas como lutas de exibição) e ainda não possui nenhum triunfo por nocaute em sua carreira de 12 confrontos. Representante da arte suave e campeão mundial na faixa marrom, o paraibano afirma se sentir mais à vontade no solo, mas não descarta um nocaute quando encontrar Boetsch no centro do octógono.

"Ele tem a mão direita muito pesada. Tem usado bastante os chutes, principalmente os frontais. É wrestler, por isso é bem difícil botá-lo pra baixo, mas nós fizemos um treinamento específico para isso. Acho que hoje sou um cara que mixa muito bem todas áreas, jiu-jitsu, wrestling e trocação. Das minhas últimas quatro lutas, três foram finalizações. Sou um cara que veio do jiu-jitsu, então estou representando minha arte. Também gosto muito do nocaute. Tudo depende de como acontece a luta. Tem que sentir o momento da luta, mas eu também gostaria bastante de um nocaute dentro do UFC. Seria ótimo", revelou.

Em seus últimos quatro confrontos, Antônio Carlos bateu Jack Marshman, Eric Spicely, Marvin Vettori e Leonardo Augusto 'Leleco' Guimarães. O paraibano não é derrotado desde um revés por nocaute técnico para o australiano Dan Kelly em março de 2016.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!