Topo

MMA

Nick Diaz leva suspensão por infringir regulamento da Usada; entenda

Steve Marcus/Getty Images/AFP
Anderson Silva acerta chute em Nick Diaz durante a luta principal do UFC 183 em Las Vegas (EUA) Imagem: Steve Marcus/Getty Images/AFP

10/04/2018 10h12

Ex-campeão do Strikeforce (extinta liga de MMA) e veterano do UFC, Nick Diaz é uma figura que não parece ter muito respeito por normas e regulamentos. Sem pisar no octógono desde seu encontro com Anderson Silva em janeiro de 2015 - onde testou positivo para metabólitos de maconha após o combate - o californiano agora foi penalizado e aceitou a suspensão executada pela Agência Americana de Antidoping (Usada) por não responder aos últimos três compromissos para exames em período fora de competição.

Um comunicado publicado pela Usada na última segunda-feira (9) explica que por não ter atendido a três agendamentos em um período de doze meses entre 2016 e 2017 - o que configura uma violação do regulamento da agência - a instituição não teve outra alternativa a não ser suspender o atleta, que teria concordado com a consequência. Entretanto, por ser uma punição retroativa cujo início foi datado em 19 de abril do ano passado, Diaz poderá retornar à ativa em menos de nove dias.

A publicação detalha que - para se manter a par da atual condição dos lutadores - envia formulários de paradeiro a cada trimestre e oferece opções de agendamento por e-mail, além de lembretes semanais através de aplicativo e outras opções de procedimento, mas Diaz não teria respondido a nenhum dos seus últimos três chamados.

Ainda de acordo com a organização, as duas primeiras ausências do lutador teriam ocorrido no segundo e terceiro trimestre de 2016 e a terceira no primeiro quarto de 2017, o que configuraria três não comparecimentos dentro de 12 meses. O dia 19 de abril do ano passado marca a data da última infração, daí tirou-se o dia para o início da penalização.

Aos 34 anos de idade, Nick Diaz já vinha lutando esporadicamente há alguns anos. Antes do embate contra Anderson Silva em 2015, o lutador havia feito uma aparição em 2013 contra o rival Georges St-Pierre e outra em 2012 contra Carlos Condit, pelo cinturão linear e o interino dos meio-médios (77 kg), respectivamente. Superado em ambas as ocasiões, o californiano não vence desde outubro de 2011 quando bateu BJ Penn por decisão unânime.