Topo

MMA

Americano conta drama com corte de peso para o UFC 223: "foi uma loucura"

AP Photo/John Locher
Anthony Pettis disfere cotovelada em Jim Miller no UFC 213 Imagem: AP Photo/John Locher

Ag. Fight

12/04/2018 09h00

Durante a pesagem na véspera do UFC 223 - evento realizado nesse sábado (7), em Nova York (EUA) -, Max Holloway foi impedido de continuar o corte de peso e o futuro de Khabib Nurmagomedov no card ficou incerto. Mas essa incerteza em relação ao que aconteceria no main event do show também cercou os lutadores. Cotado para substituir o campeão dos penas (66 kg) no confronto, Anthony Pettis retomou a sua preparação para subir na balança duas vezes, sem saber se de fato enfrentaria o russo de fato.

Em entrevista ao programa 'MMA Hour', o americano revelou os questionamentos que passaram pela sua cabeça durante esse processo. Sem que ouvisse um posicionamento do próprio UFC, Perttis lamentou precisar se informar através das redes sociais e de entrevistas dadas pela organização, assim como todo mundo. Desta forma, ele afirmou que chegou a cortar o peso em ocasiões diferentes.

"Recebi outra ligação: 'Oi, talvez seja necessário que você corte peso de novo'", narrou, se referindo ao ainda hipotético corte e seu rival Michael Chiesa do card. com as informações desencontradas no dia anterior à pesagem, o atleta chegou a se reidratar quando julgou que estava fora de ação. "Quinta-feira de noite foi uma loucura. Corto peso? Não corto peso? Vou parar como eu estou, chego nos 70,5 kg de manhã, me peso e tudo certo. Porque na quinta, não me deram certeza se eu lutaria. E na sexta-feira de manhã, eu estava acima dos 73 kg por causa da reidratação. Então, comecei a cortar o peso para chegar nos 70,5 kg, o peso que eu deveria ter para lutar com o Chiesa".

A confusão teve início ao final do 'media day', na quinta-feira a tarde, quando Conor McGregor e alguns amigos atacaram a van que fazia o transporte dos lutadores de volta para o hotel. No ataque, Michael Chiesa - adversário original de Showtime - sofreu cortes com os estilhaços da janela do veículo. Depois do incidente, enquanto voltava para o seu quarto no hotel, Pettis ouviu do UFC que a sua luta continuava de pé. No dia seguinte, já com Chiesa oficialmente fora do evento, a informação era a de que Showtime agora lutaria pelo cinturão.

"E aí o UFC me ligou: 'Talvez a gente precise que você fique com 70 kg' . E eu comecei a me perguntar: 'Que diabos está acontecendo?'. Não sabia porque eu precisaria chegar nos 70 kg. Então, pulei de volta para a banheira e cheguei em 70,4. Estava confuso, frustrado e irritado. Não sabia o que estava acontecendo. E, então, vi o que estava acontecendo".

O UFC queria que o ex-campeão voltasse a cortar peso para subir ao octógono contra Nurmagomedov pelo cinturão dos leves. No entanto, Pettis garantiu que nunca recebeu a oferta oficial da luta e, mais tarde, descobriu que Paul Felder e Al Iaquinta também eram considerados para a disputa de título. Por não ser o único cotado para substituir Holloway, Pettis interrompeu, mais uma vez, a desidratação.

"Eles nunca me ofereceram a luta, nunca conversamos sobre números e nunca me deram um contrato. Mas eles falaram que estavam me considerado para a disputa de cinturão. Claro que eu queria. Não sei se era uma boa coisa para mim, mas eu estava pronto para fazer isso", finalizou.