Topo

Esporte

Colby Covington revela que contratou seguranças armados para luta contra Dos Anjos

Ag. Fight

Ag. Fight

24/04/2018 16h56

Embora a luta entre Colby Covington e Rafael dos Anjos não vá mais acontecer no Rio de Janeiro, o americano decidiu tomar precauções. 'Chaos' revelou nesta terça-feira (24) que, depois de precisar de ajuda de funcionários do UFC (veja abaixo ou clique aqui) para deixar o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, em outubro do ano passado, anda com seguranças particulares armados em todos os eventos relacionados à organização -  o que deve se repetir na semana do UFC 225, em Chicago, quando enfrentará Dos Anjos.

Covington enfrentaria 'RDA' no UFC 224, em 12 de maio, no Rio, mas, de acordo com o próprio Rafael em conversa com a reportagem da Ag. Fight, as declarações ácidas do americano sobre o país - e a recente confusão criada por Conor McGregor em Nova York - colaboraram para que o combate não acontecesse no Brasil. Após vencer Demian Maia no UFC Fight Night 119, Colby chamou os brasileiros de "animais imundos", o que indignou a torcida presente. Depois, pediu desculpas aos animais por compará-los com os habitantes do país.

Sem ignorar os efeitos de suas palavras, o meio-médio (77 kg) agora não dispensa seus guarda-costas. "Já tomamos as medidas. Felizmente, meu empresário, Dan Lambert , tem todo o dinheiro do mundo. Ele já contratou uma equipe inteira de seguranças, e onde quer que eu vá, em eventos ou qualquer coisa ligada ao UFC, eu tenho segurança armada comigo", declarou, em entrevista ao site 'MMA Junkie'.

Covington tem se notabilizado pelas declarações polêmicas e por colecionar desafetos. Fabrício Werdum já o acertou com um bumerangue - que serviu de tema para uma irônica camiseta de Dos Anjos - e, durante o evento comemorativo de 25 anos do Ultimate, Kamaru Usman o chamou para briga.

Apesar de todas as provocações, Colby criticou os lutadores que se exaltaram diante dele. "No fim das contas, somos lutadores profissionais. Parem de agir como bandidos de rua. Não vamos brigar nas ruas. Eu sou muito bem pago para entrar lá e lutar no pay-per-view. Não vou brigar na rua. Todos esses caras querem parecer durões e agir como se fossem das ruas. Isso é 'cool', cara. Fico contente de você querer parecer durão, e seus nervos estão à flor da pele, mas você precisa ir além de suas emoções, nerds", disse.

Na última segunda-feira (23), Warlley Alves, responsável pela única derrota do americano na carreira, pediu que os brasileiros não sejam hostis a Covington no caso de um reencontro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte