Topo

Esporte

Ex-lutador cobra apoio de colegas a Leslie Smith e 'sindicato' dos atletas

Ag. Fight

Ag. Fight

28/04/2018 16h05

O ex-lutador Brendan Schaub saiu em defesa de Leslie Smith, lutadora que foi demitida pelo UFC, segundo ela, por comandar uma entidade que visa a defender os direitos dos atletas. Em seu podcast, 'Before the Belt', Schaub cobrou apoio de grandes nomes do Ultimate à causa encampada por Smith.

Ela enfrentaria Aspen Ladd no UFC Fight Night 128, no sábado (21). Ladd não bateu o peso, e Smith se negou a aceitar o combate, mesmo com a proposta de receber 20% da bolsa da rival. A peso-galo (61 kg), então, aproveitou para negociar a renovação de seu contrato - afinal, aquela seria a última luta do acordo vigente. Segundo Leslie, a companhia recusou a proposta e pagou a bolsa inteira da atleta, incluindo o bônus da vitória, como forma de encerrar seu vínculo. A liberação da lutadora, inclusive, antecipou a publicação do novo ranking da organização.

Para Schaub, houve tão pouca repercussão do que aconteceu porque não se tratava de uma grande estrela do UFC. "Imagine se Conor McGregor, Khabib Nurmagomedov, Kevin Lee, Daniel Cormier, Demetrious Johnson, Cris Cyborg, Holly Holm ou Rose Namajunas fizessem isso, quanta agitação isso causaria? O problema é que é Leslie Smith, por mais triste que seja dizer isso. Estou com ela, com a sua causa, e espero que siga em frente", falou.

"Se Conor fizesse isso, o UFC estaria morrendo de medo. Mas, se você é Conor, você não está irritado com o valor que lhe é pago e com a maneira com que as coisas são geridas, porque você está muito rico. Você é basicamente um sócio do UFC. Leslie Smith não", acrescentou.

Schaub, que ficou de 2009 a 2014 no Ultimate como peso-pesado, cobrou de outros atletas solidariedade e uma atuação mais intensa em reivindicações coletivas. "Leslie Smith não pode ser a única a querer isso . Até que todos vocês decidam mudar as coisas, vocês não podem se queixar, porque são parte do problema. Leslie não. Ela agora não tem mais emprego justamente porque ela não é parte do problema. Ela quis ir contra a correnteza. Você viu algum outro lutador solidário a ela? Você viu um tweet sequer de uma grande estrela do UFC? Nada, certo? Nem uma p**** de uma palavra", criticou.

O 'Project Spearhead', associação presidida por Leslie, tem como vice-presidente e tesoureiro os pesos-leves (70 kg) Kajan Johnson e Al Iaquinta. A entidade corre atrás da autorização de pelo menos 30% dos lutadores do Ultimate para poder representá-los oficialmente.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte