Topo

Esporte

Afegão lembra infância difícil em meio à guerra e pede luta contra Lawler

Ag. Fight

Ag. Fight

30/04/2018 12h25

Lutar MMA, definitivamente, não é algo fácil. Treinamentos duros, dificuldades financeiras, incertezas na carreira. Mas, para quem enfrentou em sua própria vida o que há de mais brutal, encarar os obstáculos do esporte não é tão complicado. É o caso de Siyar Bahadurzada, que viveu em plena infância os horrores da guerra civil no Afeganistão. Em entrevista ao site 'MMA Junkie', o meio-médio (77 kg) afirmou que suas experiências de vida o fizeram lidar melhor com os dois anos afastado do UFC por causa de repetidas lesões.

"Eu cresci no Afeganistão, durante a guerra, e passei por muitas m*****. Quando criança, andei no meio dos corpos, correndo para me manter vivo, fugindo da guerra civil. Mas isso? Dois anos em baixa... Isso me atiçou de um jeito diferente. Isso inflamou dentro de mim o campeão que eu quero me tornar. Não voltei somente para aparecer, vencer uma ou duas, depois perder uma ou duas e encerrar a carreira. Eu voltei para conquistar. Para ser campeão. E vim mostrar isso. Vou derrubar a todos. Um por um", declarou.

Siyar quer, agora, ser um espelho para as crianças afegãs. "Agora que estou nesta posição, estou tentando inflamar o campeão dentro daquelas crianças. Quero dar esperança a eles. Porque eles não têm esperança. Eu não tinha esperança quando eu estava no Afeganistão. Porque você não sabia qual dia seria o nosso último dia e qual foguete ou bala tinha você como destino. Quando você sai de casa, você não sabe se vai voltar, por causa dos ataques suicidas. Eu quero dar esperança a essas pessoas. Quero que eles se concentrem em treinar, e não em drogas ou algo do tipo. Temos pobreza no Afeganistão, mas também temos coragem e bravura para sermos grandes e chegarmos ao topo", acrescentou.

Bahadurzada ficou os anos de 2014 e 2015 inteiros fora do octógono. Em março de 2016, o afegão venceu Brendon Thatch e novamente levou mais de um ano sem lutar. Em setembro de 2017, nocauteou Rob Wilkinson pelo peso-médio (84 kg) e, no UFC Atlantic City, no último dia 21, repetiu o feito diante de Luan Chagas. Os bons resultados trouxeram otimismo a Siyar. "Este é o ano em que as coisas vão acontecer para mim. Estou determinado, animado e sem lesões", falou.

Depois da terceira vitória consecutiva, o lutador resolveu tentar passos maiores. Durante a entrevista, ele externou a vontade de enfrentar Robbie Lawler, ex-campeão dos meio-médios. Segundo Siyar, as características dos dois contribuiriam para um combate épico. "Seria uma grande luta. Ele é um cara duro, vem mesmo pra lutar, assim como eu. Temos um estilo muito parecido de luta. Acho que faríamos a luta da década. Se ele quisesse lutar, eu adoraria", disse.

Lawler e Siyar quase se enfrentaram em julho de 2013. O afegão substituiu Tarec Saffiedine, que faria a estreia no UFC, mas acabou se lesionando. Em seu lugar, entrou Bobby Voelker, que foi nocauteado por Lawler.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte