Topo

MMA

Sonnen sobre categoria de Cyborg: Para disputar título, basta levantar mão

Divulgação/Bellator
Imagem: Divulgação/Bellator

Ag. Fight

15/05/2018 07h00

Que Chael Sonnen é um grande provocador, todo mundo sabe, e ele não aliviou em entrevista ao programa 'MMA Hour' de segunda-feira (14). O peso-pesado do Bellator chamou a atenção por uma análise sobre a falta de profundidade da categoria peso-pena feminino (66 kg) do UFC, a qual considerou pouco competitiva.

A divisão, que já coroou Germaine de Randamie e Cris 'Cyborg', teve só mais duas lutadoras contratadas especificamente para ela: Yana Kunitskaya e Megan Anderson ? que vai enfrentar Holly Holm no UFC 225, em 9 de junho, em Chicago.

Quando questionado sobre a possibilidade de a campeã do peso-galo (61 kg), Amanda Nunes, subir de peso para desafiar Cyborg, Sonnen disse ter finalmente se empolgado para um combate na divisão.

"Talvez seja a única luta feminina que eu, hoje, queira genuinamente ver. Eu fiquei muito animado quando a luta foi citada pela primeira vez. As duas lutaram e venceram recentemente. Não esqueça que, para você ser a contender número 1 e disputar o título mundial dos penas, tudo o que você precisa fazer é levantar a mão. E vira a adversária de Cyborg. Que ano é esse? 1996? 1994? Não, isso é 2018!", afirmou.

Sonnen também analisou a polêmica declaração de um dos treinadores de Raquel Pennington, que a obrigou a voltar para o quinto round, depois de a então desafiante ao cinturão dos galos julgar-se incapaz de voltar para o combate contra Amanda, no último sábado (12), pelo UFC 224. Segundo o americano, o técnico de 'Rocky' falhou.

"Você não encerra a luta só porque seu lutador está tonto, porque está machucado ou porque está travado em uma posição. Você encerra uma luta assim que você percebe que seu lutador não pode mais vencer. Assim que você percebe que já se passou aquele limite a partir do qual não há mais vitória", avaliou.

O ex-desafiante aos títulos peso-médio (84 kg) e meio-pesado (93 kg) no UFC também comentou o duelo contra Fedor Emelianenko, que deve acontecer no segundo semestre. Sonnen afirmou não ter medo do russo, julgando-se pronto para enfrentá-lo em pé ou no chão - mas dando, claro, preferência ao wrestling.

"Você sabe o que é o meu feijão com arroz, sabe o que eu vou fazer. Mas eu vou te lembrar: eu enfrentei 49 caras e eu nunca levei mais golpes do que dei. Só sofri um knockdown, nunca fui nocauteado. Eu vou colocar para baixo qualquer um que eu possa, e se eu não puder, vou superá-los em pé", falou, em tom sarcástico.

Desde que chegou ao Bellator, em 2016, Chael fez três lutas: perdeu a primeira, sendo finalizado por Tito Ortiz, e venceu Wanderlei Silva e Quinton 'Rampage' Jackson, ambos por decisão.