Topo

Esporte

Lutador do UFC promete doar R$ 50 mil para menina com doença rara; entenda

Ag. Fight

24/05/2018 14h01

A confirmação de Craig White como adversário de Neil Magny no UFC Liverpool, que se realiza neste domingo (27), foi especial para a família de Presley O'Doherty, de 1 ano e 3 meses, diagnosticada com atrofia muscular espinhal, uma doença neurológica rara. Magny havia prometido que, se o Ultimate conseguisse um substituto para o lesionado Gunnar Nelson, doaria US$ 15 mil de sua bolsa ? o equivalente a R$ 54,5 mil ? para o tratamento da menina.

Magny soube da situação de Presley por meio de seu ex-treinador de wrestling, Leister Bowling, que lhe mostrou uma matéria sobre o assunto. O lutador, então, fez a promessa de doação para seus 16 mil seguidores (veja abaixo ou clique aqui). O anúncio de que White seria seu adversário fez o americano reiterar seu compromisso (veja abaixo ou clique aqui). "Agora, tenho o privilégio de dar um grande show para os fãs e de manter minha promessa para Presley e a família dela. Vou dar US$ 15 mil para ajudá-la a conseguir os cuidados médicos de que precisa", escreveu.

Ao site oficial do UFC, o meio-médio (77 kg) contou como se sensibilizou com a história. "Li sobre a menina e a condição dela no GoFundMe e percebi quão drástica era a situação daquela família", falou. Magny explicou que, ao conhecer a mãe da garota, teve certeza de que deveria ajudá-la. "Foi o que realmente me inspirou a mergulhar mais fundo e fazer uma contribuição maior do que qualquer coisa que já fiz na vida", acrescentou.

"Sempre contribuí para coisas que me tocaram no passado, caridade ou algo do tipo, mas sempre foi algo confortável para mim: 'Ah, vou dar 100 dólares'. Mas estou numa posição em que eu posso e devo ajudar esta pessoa. Sou grato e abençoado pela oportunidade de lutar, mas essa menina está literalmente lutando pela vida. Me senti realmente compelido a fazer uma doação", completou.

Segundo Magny, a nobre atitude também é influenciada por duas notícias distintas que o abalaram muito: a lesão no pescoço que sofreu em 2017 e por pouco não o tirou do MMA e a hidrocefalia do pequeno Anthony, filho do peso-mosca (57 kg) do UFC Ray Borg.

"Ano passado, eu estava sentado num consultório, e o médico estava dizendo para mim: 'Cara, não parece que você pode lutar e, se puder, não vai ser sem fazer uma cirurgia antes'. Ray Borg está no Colorado agora, com seu bebê recém-nascido e, vendo esta menininha, vejo algo que está muito perto de mim. Não sei o que é ter uma criança que precisa de tantos cuidados nem quanto estresse isso gera na família. Mas, se eu puder ajudá-los de alguma maneira, farei isso", disse.

A lesão que Magny enfrentou foi curada com seis meses de fisioterapia. Depois disso, o lutador perdeu para Rafael dos Anjos, em setembro, e venceu Carlos Condit, em dezembro do ano passado.

Um vídeo publicado por ufc (@ufc) em Ago 8, 2015 às 9:50 PDT

Um vídeo publicado por ufc (@ufc) em Ago 8, 2015 às 9:50 PDT

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte