Topo

Esporte

Trump dá perdão presidencial a ex-campeão de boxe após pedido de Stallone

AP
O ex-pugilista Jack Johnson Imagem: AP

Ag. Fight

25/05/2018 12h44

Na última quinta-feira (24), Donald Trump, presidente dos EUA, concedeu um perdão executivo ao lutador de boxe 'Jack' Jackson, falecido em 1946, por um crime pelo qual o atleta foi julgado mais de 100 anos atrás. E quem o motivou a tomar a decisão deste ato presidencial foi ninguém menos que o ator Sylvester Stallone, conforme revelou o próprio político.

No mês de abril passado, Trump revelou através do seu perfil oficial no Twitter que Stallone havia pedido sua atenção para o caso de Jackson. E o presidente revelou que estava considerando o perdão: "O Sylvester Stallone me ligou e contou sobre a história do boxeador peso-pesado Jack Johnson. Os seus tribunais, a sua vida complexa e controversa. Outros olharam para isso ao longo dos anos, muitos pensaram que poderia ser feito, mas sim, estou considerando um perdão".

Após a cerimônia realizada na última quinta-feira, quando estiveram presentes o campeão dos pesos-pesados Deontay Wilder e o ex-boxeador Lennox Lewis, o presidente ressaltou a importância de reconhecer o perdão ao falecido atleta.

"Hoje eu concedi um perdão executivo a John Arthur 'Jack' Jackson. O primeiro africano-americano campeão peso-pesado do mundo, um grande lutador. Teve uma vida dura. Hoje nós fizemos algo importante, porque fizemos algo certo. Jack Jackson não foi tratado da forma correta e nós acertamos isso, estou honrado por ter participado disso", declarou.

Filho de ex-escravos, Johnson entrou para a história ao se tornar o primeiro boxeador negro campeão mundial dos pesos-pesados, em 1908. Quatro anos após conquistar o título, o atleta foi preso sob a acusação de que o seu relacionamento com Lucille Cameron violava o 'Mann Act' por 'transportar uma mulher branca entre territórios americanos para fins imorais'.

Mais Esporte