Topo

MMA

Benavidez ignora status de "freguês" de campeão do UFC e pede por nova luta

AP
Joseph Benavidez minimizou o fato de ter perdido em duas ocasiões Imagem: AP

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

30/05/2018 06h00

Já são seis vitórias seguidas no UFC. Mesmo assim, Joseph Benavidez, número um do ranking dos pesos-moscas (57 kg), ainda terá que fazer ao menos mais uma luta antes de garantir a sonhada chance de disputar o cinturão do evento novamente. E, embora exista uma razão lógica para isso, o americano não se cansa de questioná-la.

Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (29) na sede do UFC, em Las Vegas (EUA), o lutador minimizou o fato de ter perdido em duas ocasiões para Demetrious Johnson, atual campeão da categoria. No entanto, tal retrospecto torna um reencontro com o algoz uma luta de pouco apelo comercial na visão dos promotores do show

"Eu sempre pensei que, em termos de técnica e habilidade, não existe discussão. É o primeiro do ranking contra o campeão. Então, se você quer ver os dois melhores lutarem, nós teríamos sete lutas incríveis. Acho até que uma sexta luta comigo, inclusive, seria mais emocionante do que algumas lutas que ele vem fazendo para preencher os cards e defender seu título. Porque não deixar os dois melhores lutadores se enfrentarem?", questionou, parecendo estar incomodado com a estagnação de sua carreira.

Talvez por isso, o atleta tenha se preservado nos últimos meses. Sem lutar desde dezembro de 2016, Benavidez se mudou para a cidade de Las Vegas para treinar na estrutura montada pelo próprio UFC, onde pode contar com seus próprios treinadores e parceiros de equipe. E o primeiro a sentir o poder dessas mudanças será Sergio Pettis no dia 9 de junho, em Chicago (EUA).

"Vou começar o meu retorno com essa luta contra o Sergio Pettis em Chicago e gostaria de fazer mais uma luta antes do final do ano. Não estou querendo forçar nada, apenas o mesmo como um veterano saudável. Estamos na metade do ano, lutarei, então quero lutar novamente no final do ano", arriscou, medindo as palavras para não criar polêmicas.

No entanto, ciente de que, mesmo caso vença, possa ter que esperar ainda mais por uma chance de disputar o título, o americano fez questão de mostrar motivado para seguir competindo em alto nível, principalmente por ter ficado tanto tempo sem competir. Aos 33 anos e dono de um cartel de 25 vitórias e apenas quatro derrotas, Benavidez não parece mesmo ter muitas opções no momento.

"Honestamente, estou apenas feliz. É incrível estar nesse lugar depois de 18 meses. É engraçado porque eu sou um veterano, obviamente, mas me sinto como um garoto novamente no esporte. Estão me sinto muito feliz, esse tempo afastado me fez muito bem mentalmente. Estou feliz treinando e lutando. Tenho um novo grupo com uma nova atmosfera comigo, o que me traz boas energias. Amo lutar e amo treinar, mas depois de 11 anos você está quase fazendo tudo no automático, é 'apenas mais uma luta'. Você não para e pensa como isso é divertido", finalizou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!