Topo

MMA

Charles Do Bronx diz ter planos para voltar à divisão dos penas no UFC

AP Photo/Jeffrey T. Barnes
Charles do Bronx comemora vitória sobre Will Brooks no UFC 210 Imagem: AP Photo/Jeffrey T. Barnes

Amanda Cardoso, no Rio de Janeiro

Ag. Fight

06/06/2018 18h03

A três dias de seu retorno aos octógonos depois de seis meses sem lutar, Charles do Bronx parece ter uma estratégia bem definida para a continuidade de sua carreira no UFC. O brasileiro, que enfrenta Clay Guida no UFC Chicago, neste sábado (9), projeta que essa seja sua última luta pela categoria peso-leve (70 kg).

Em conversa com a reportagem da Ag. Fight nesta quarta-feira, o lutador contou os seus planos para alcançar o objetivo de retornar à divisão dos penas (66 kg). Para Charles, as palavras de ordem no momento são bater o peso e vencer. Decidido, o paulista não vê outra opção e garante que vai se acertar com a balança.

"Estou pedindo (para voltar aos penas) desde quando a gente subiu de categoria, mas ainda não tivemos tempo de sentar e conversar. Acho que vai acontecer depois dessa luta e se Deus quiser, vou voltar para os penas", afirmou o atleta, antes de mostrar otimismo em relação ao seu plano. "Vou garantir para eles agora. Chamado com 12 dias, vou bater o peso bem. Assim não tem como eles não me deixarem descer."

A garantia no sucesso da estratégia pode estar atrelada ao comprometimento do atleta no dia a dia. Com pouco tempo disponível para se preparar para o embate, Do Bronx acionou imediatamente seu nutricionista e voltou 100% de seus esforços para o seu condicionamento físico.

"Estamos fazendo um trabalho sério. Desde quando marcaram a luta, o Marcão me ligou e nós começamos a montar a estratégia certa para bater o peso junto com o meu nutricionista. Então, acredito que quanto a isso não terei problema nenhum. Estamos tranquilos", contou.

Sem se deixar intimidar pelo tempo escasso, o paulista, que vem de três derrotas em quatro lutas, assegurou que o mau momento na carreira também não teve influência em sua decisão de dizer sim para um combate marcado tão em cima da hora.

"Não é pelo fato de estar vindo de derrota que eu aceitei essa luta. Quem me acompanha sabe que eu nunca recusei nenhuma luta, nunca escolhi adversário, nunca escolhi tempo. Aceitei a luta contra o Ricardo Lamas com 20 dias. Então, não é pela fase, é pela vontade. Quando o Macaco me ligou, ele perguntou o que eu achava, se eu estava pronto, se eu queria essa luta e eu concordei. Acho que o lutador tem que estar sempre pronto, eu estou e vou mostrar isso lá em cima do octógono", prometeu.

Com tanta coisa em jogo em uma só luta, a pressão para a vitória é grande, ainda mais quando o adversário é um veterano. Oito anos mais velho e com 14 lutas a mais que Charles em seu cartel, o experiente Clay Guida vem de dois triunfos consecutivos. A bagagem e o histórico do americano, no entanto, não diminuem a confiança de Do Bronx, que demonstra conhecer bem o oponente e ter cartas na manga.

"Ele é um cara que merece respeito de todos nós, é um cara duríssimo, joga com a torcida, com aquele calor, gosta daquela bagunça. É um cara que anda para frente o tempo todo, não se importa se está sangrando, ele anda para frente, faz acontecer", comentou sobre Guida.

"Mas a derrota nem passa pela minha cabeça. Tenho defesa para todas as armas que ele tem, mas ele não tem defesa para as minhas. Acho que se a cabeça do lutador está boa, todo resto anda para frente. Eu estou com a cabeça boa, estou com a melhor equipe. Vou andar para frente, vou fazer meu trabalho acontecer. Já sei tudo que ele vai fazer, mas ele não sabe o que eu vou fazer", assegurou o lutador, que recentemente declarou que teria mais paciência nos combates

Sempre otimista, o jovem de 28 anos sonha grande ao falar do futuro. "Sou muito novo, tenho muita coisa para queimar ainda, muita coisa para fazer. Quero entrar no hall da fama, quero ser um dos melhores lutadores. Quero me dedicar cada vez mais e manter a cabeça no lugar. É muita gente falando e pouca gente ajudando. Então, quero manter o foco no meu objetivo, crer cada vez mais em Deus e bola para frente", projetou.