Topo

MMA

Advogados de McGregor propõem acordo, e solução do caso fica para julho

Sean M. Haffey/Getty Images/AFP
Conor McGregor se aquece antes da luta contra Floyd Mayweather Imagem: Sean M. Haffey/Getty Images/AFP

Ag. Fight

14/06/2018 11h36

Não durou quase nada a passagem de Conor McGregor pela corte criminal de Kings County, em Nova York (EUA) nesta quinta-feira (14). O ex-campeão dos penas (66 kg) e leves (70 kg) teria uma audiência por causa do caso de agressão a lutadores que estavam em um ônibus durante o 'media day' do UFC 223, em abril, mas, após menos de um minuto, o encontro acabou. Segundo o jornal britânico 'Metro', cuja reportagem esteve no local, o irlandês terá uma nova audiência em julho.

McGregor chegou ao local com seu amigo e companheiro de equipe Cian Cowley, também lutador de MMA. Cowley também foi preso na ocasião. Por meio de um comunicado lido por um representante, Conor se pronunciou logo após a audiência. "Eu me arrependo das ações que me levaram a estar aqui hoje. Entendo a seriedade do assunto e espero que tudo seja resolvido em breve. Obrigado a todos", declarou.

A confusão que gerou o processo contra Conor aconteceu supostamente por causa de uma discussão entre Artem Lobov, parceiro do irlandês na equipe SBG, e Khabib Nurmagomedov, que faria a luta principal do evento. Alegadamente procurando o russo, McGregor chegou com um grupo de amigos aos bastidores do 'media day' e atirou um carrinho de suporte de câmera contra a janela do ônibus.

Os estilhaços dos vidros quebrados atingiram o peso-leve Michael Chiesa e o peso-mosca (57 kg) Ray Borg. Ambos acabaram excluídos do UFC 223 por recomendação médica. Lobov, por estar envolvido na confusão, também foi retirado do card.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!