Topo

Esporte

'Durinho' prevê 'mata-mata' contra rival em busca de TOP 15 do UFC

Ag. Fight

19/06/2018 08h00

Nem mesmo as duas vitórias seguidas por nocaute no UFC ou o cartel com 13 triunfos e apenas duas derrotas garantirem ao peso-leve (70 kg) brasileiro Gilbert 'Durinho' uma vaga no Top 15 do ranking oficial do evento. No entanto, o atleta parece confiante de que a distância que o separa do seleto grupo não é nada grande.

Com duelo marcado contra o australiano Dan Hooker no próximo dia 7 de julho, em Las Vegas (EUA), o faixa-preta de jiu-jitsu enaltece o bom momento do adversário, que conta com três triunfos seguidos no octógono, para apontar o vencedor como um provável Top 15, conforme revelou em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight.

"É um jogo que bate bem, é um jogo que vai ser bem legal de fechar. Sou um cara do jiu-jitsu, que estou melhorando em pé, ele é um cara em pé também, que tem um bom jiu-jitsu, tem vitórias por finalização. Acho que vai ser uma luta boa ali, estou vindo num momento bom e ele também, vai ser uma eliminação para um cara que está para entrar no Top 15 ali", previu.

Como argumento está o fato do combate fazer parte do UFC 226, card numerado programado para a cidade de Las Vegas (EUA), o que garante visibilidade necessária para que o vencedor clame por desafios de maior renome na organização. Afinal, já são seis vitórias no evento.

"É um card que vai estar todo mundo de olho, na semana do UFC, vai estar todo mundo lá em Las Vegas. Estou em uma posição tanto na minha vida quanto no UFC que não dá para ficar escolhendo luta. Tenho que acumular vitórias, então tenho certeza que se acumular quatro, cinco, seis vitórias, uma hora ou outra vou estar ranqueado. É mais fácil falar do que fazer, é uma coisa difícil de fazer, mas venho trabalhando para isso, então acho que é continuar mostrando meus resultados que alguma hora vou ter um adversário com nome, algum bem ranqueado", analisou.

Para isso, porém, uma vitória sobre Hooker é fundamental. E apesar das qualidades do oponente e do respeito ao rival, Durinho garante que já tem o ponto principal de sua estratégia definido: ditar o ritmo da luta. Tarefa nada fácil e que exigirá agressividade para dominar o centro do octógono e pressionar o australiano.

"Vou ter que pressionar bastante ele, vou deixar ele desconfortável. Ele é um cara que quando está confortável é muito bom, eu vou pressionar ele ali o tempo todo. É uma das coisas que a gente está começando a planejar: a estratégia", finalizou.

Aos 31 anos de idade, Durinho mora e treina no estado americano da Flórida (EUA). Depois do racha da equipe Blackzilians, o lutador foi um dos responsáveis por manter a maior parte dos atletas do time treinando juntos para seus camps, onde divide o tatame com feras como Vicente Luque e Rashad Evans.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte