Topo

Esporte

Amanda Nunes é criticada por "não honrar palavra" ao pedir luta com Holm

Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images
Brasileira Amanda Nunes venceu americana Pennington e manteve o cinturão do UFC Imagem: Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images

Ag. Fight

19/06/2018 13h46

Ketlen Vieira vem, há alguns meses, citando uma declaração de Amanda Nunes de que ela seria a próxima desafiante ao título peso-galo (61 kg) do UFC. Mas, com quatro lutas e quatro vitórias na organização, a representante da Nova União afirmou ao site 'MMA Fighting' que se sentiu "enganada" ao descobrir que a campeã deseja enfrentar Holly Holm em seu próximo combate.

Na entrevista, a manauara adotou tom incisivo e criticou duramente o UFC por, de acordo com ela, ser benevolente com Holly e aceitar "o que ela quer". De quebra, afirmou que Amanda não está honra a própria palavra e pensa apenas em dinheiro, porque supostamente a luta contra a ex-campeã dos galos renderia mais venda de pay-per-view.

"Minha equipe e eu trabalhamos muito duro por essa oportunidade. Eles querem colocá-la contra Holly, mas nós trabalhamos muito para chegar até lá . Se eu sou a número 2 do ranking, é por causa do meu trabalho, não porque o UFC me manteve lá, como fizeram com Holly Holm. Tenho muito respeito por Holly Holm, que foi campeã. Respeito todos os lutadores, mas você não pode simplesmente subir de categoria e passar por cima de mim. A única lutadora que ela venceu recentemente no peso-galo foi Bethe Correia, a quem tenho muito respeito também, mas ela é a número 10 do ranking. Perde duas, ganha de Bethe e continua como número 1? Não faz sentido", declarou.

De fato, Amanda Nunes havia declarado que via Ketlen Vieira como a desafiante número um de sua divisão, embora tenha deixado claro que sua meta era fazer uma superluta com Cris 'Cyborg', campeã dos pesos-penas (66 kg). No entanto, conforme as chances de enfrentar a curitibana esfriaram, o nome de Holly se tornou atraente após a americana desafiar a 'Leoa' publicamente.

"Amanda Nunes disse que eu seria a próxima. Eu honro minha palavra. Tenho caráter. Minha família me ensinou a honrar minha palavra. Como campeã e exemplo para milhares de brasileiros, ela deveria honrar a palavra dela. Se ela não tem interesse em lutar contra mim, não deveria ter dito tantas vezes que eu seria a próxima. Eu venho de uma vitória contra Cat Zingano, a única lutadora a vencer Amanda no UFC. Não fui eu que estava lá dizendo que eu seria a próxima, foi ela. Ela disse que eu merecia, porque vinha de vitória sobre Cat Zingano", criticou Ketlen, que não poupou nem mesmo a organização do UFC.

"É engraçado, porque todo mundo cai no ranking, é retirado do ranking, e eles mantêm Holly lá. Ela vem de vitória sobre a número 10 e continua como número 1. Quem tem uma sequência de vitórias maior do que a minha? É injusto. O ranking é injusto. Não sei por que eles têm um ranking, se não seguem o que ele diz".

Preterida pela campeã em detrimento de nomes como Cyborg e Holm, Ketlen aponta diferença de visibilidade como grande razão para a postura adotada por Amanda. Afinal, enfrentar as rivais desejadas garantiriam valores maiores no que se refere à venda de pay-per-views.

"Todo mundo vê que a razão é essa. O último evento que eles fizeram no Brasil foi o pior pay-per-view, então é claro que eles querem isso. Ela quer isso ou uma superluta com Cyborg, porque vai vender pay-per-views. Ela não pensa em quando ela era a número 2 e queria ser a campeã. Ela está matando os sonhos de todo mundo ao travar a divisão, lutar uma vez por ano. Isso não é justo", analisou, se referindo ao duelo entre Amanda Nunes e Raquel Pennington, realizado em maio passado.

Faixa-preta de jiu-jitsu da academia Nova União, Ketlen acumula dez vitórias em um cartel invicto no MMA profissional. Aos 26 anos, a brasileira vem embalada por vitórias sobre Sara McMann e Cat Zingano, duas ex-desafiantes ao cinturão do UFC.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte