Topo

MMA

Vítima quando criança, bicampeã olímpica revela luta contra abuso infantil

AFP/Toshifumi KITAMURA
Kayla Harrison espera fazer história no MMA Imagem: AFP/Toshifumi KITAMURA

Ag. Fight

21/06/2018 15h51

Prestes a estrear no MMA profissional, no PFL 2, evento que acontece nesta quinta-feira (21), Kayla Harrison analisou o escândalo de abuso sexual que manchou a história recente da ginástica olímpica americana. Ao site 'MMA Junkie', ela classificou como "tragédia" que situações como aquela se repitam e sejam permitidas por aqueles que detém o poder no esporte. E ela tem 'lugar de fala' sobre o assunto.

A ex-judoca, bicampeã olímpica em Londres e no Rio de Janeiro, relembrou que quando tinha 13 anos - a atleta tem 27 anos atualmente - foi molestada por seu primeiro técnico, Daniel Doyle, que foi preso. Hoje, Harrison tem uma fundação que ajuda crianças e adolescentes e seus pais a lidarem com situações de abuso. Desta forma, ela enalteceu o movimento #MeToo, que ajudou a revelar situações de assédio no show business, e os acontecimentos na ginástica.

"É uma tragédia. É absolutamente insano que isso ainda aconteça no nosso país e que pessoas com poder permitam isso. Não me diga que mais de 100 meninas foram abusadas e ninguém sabia disso. É de partir o coração. Tenho sido uma espécie de mentora para muitas meninas com as quais isso aconteceu. Ninguém quer que isso aconteça, mas uma coisa boa sobre ter acontecido é que agora as pessoas estão realmente discutindo isso. Isso gerou um exército de sobreviventes. Eles se tornaram fortes juntos. Eles se recusaram a ficar em silêncio, todos se levantaram e foram muito corajosos, muito fortes. Espero que isso mude a cultura, porque não deveria ter existido o movimento #MeToo. Não deveria ter acontecido aquele escândalo novamente", declarou.

Kayla falou também sobre seu novo livro, 'Fighting Back'. Projetando a importância da obra para um futuro distante, a ex-judoca afirmou que espera que, um dia, a a publicação se torne parte do currículo escolar americano, a fim de ajudar crianças que possam passar por situação.

"Usa minha história como um guia sobre o que observar em vítimas de abuso sexual. É sobre aliciamento, é sobre como é ficar em silêncio, sobre como você pode falar sobre o seu caso. Eu realmente quero que seja um livro para todos: para professores, médicos, pais... Qualquer um que esteja ao redor das crianças", falou.

O PFL 2, evento no qual Harrison estreia diante de Brittney Elkin, terá o card preliminar transmitido por meio do Facebook oficial da organização, a partir das 19h. O evento será encabeçado por Luiz 'Buscapé' Firmino e Will Brooks, pela primeira rodada da temporada regular dos pesos-leves (70 kg).

Confira o card completo do evento:

Card principal
Leve (70 kg) | Luiz Firmino vs. Will Brooks
Leve (70 kg) | Efrain Escudero vs. Jason High
Meio-pesado (93 kg) | Rashid Yusupov vs. Rakim Cleveland
Leve (70 kg) | Brian Foster vs. Ramsey Nijem
Leve feminino (70 kg) | Kayla Harrison vs. Brittney Elkin
Meio-pesado (93 kg) | Ronny Markes vs. Sean O'Connell

Card preliminar
Meio-pesado (93 kg) | Smealinho Rama vs. Brandon Halsey
Leve (70 kg) | Islam Mamedov vs. Yuki Kawana
Meio-pesado (93 kg) | Maxim Grishin vs. Jason Butcher
Leve (70 kg) | Thiago Tavares vs. Robert Watley
Leve (70 kg) | Chris Wade vs. Natan Schulte
Meio-pesado (93 kg) | Dan Spohn vs. Bazigit Atajev
Meio-pesado (93 kg) | Vinny Magalhães vs. Jamie Abdallah