Topo

Esporte

Sonnen critica Cejudo por não promover luta: "Por isso está sem dinheiro"

Reprodução/Bellator
Sonnen criticou o ex-campeão olímpico de luta greco-romana Imagem: Reprodução/Bellator

Ag. Fight

22/06/2018 06h00

Poucos nos esportes de combate sabem promover uma luta tão bem quanto Chael Sonnen. Embora nunca tenha sido um atleta fora de série, o americano conseguiu duelos contra lendas do MMA, a exemplo de Anderson Silva e Jon Jones, muito por causa de sua capacidade de atrair interesse do público para si. Com essa 'autoridade', o lutador do Bellator deu conselhos a Henry Cejudo, desafiante ao título dos pesos-moscas (57 kg) no dia 4 de agosto, pelo UFC 227.

Em seu canal no YouTube, Sonnen criticou o ex-campeão olímpico de luta greco-romana por não se esforçar para gerar expectativa dos fãs para o confronto. Segundo ele, uma vez que o campeão Demetrious Johnson não tem o perfil provocador, cabe a Cejudo ser mais incisivo neste sentido - como fez em maio, via Twitter, pouco antes de a luta ser anunciada.

"A vaga do mocinho já foi preenchida por Demetrious. Há outra poltrona no carro. Então, você tem que mudar as coisas um pouco. Ele começou a atacar um pouquinho os caras, em alguns poucos tweets, e adivinha? Ele conseguiu a luta. Me preocupo, como fã, que este tenha sido seu único objetivo: conquistar a luta. Como espectador, me preocupo de ele não fazer sua parte para chamar a atenção para a luta. Ele vai achar que isso é espírito esportivo. Que é o que é digno de um esportista. Mas também é por isso que ele não tem dinheiro. Ele simplesmente se recusa a entender o que estamos fazendo aqui", criticou, com a ironia de sempre.

"É uma luta pelo título mundial, que é uma grande coisa. É uma revanche, o que, historicamente falando, é um grande negócio. Mas é a luta coprincipal, que é a maneira de o mercado dizer: 'Sabemos que vocês não podem fazer a parte de vocês'. Isso não cabe a Demetrious. Um pouco, sim, porque ele está envolvido nisso também. Mas ele é o campeão. Ele é o cara que tem que ser ele mesmo. ele é o cara que pode estar nesse lugar, porque ele tem 12 libras de ouro na sua cintura. Ele é o cara que tem essa oportunidade, porque ele é o lutador número 1 do mundo. Isso é incumbência do desafiante, que, nesse caso, é Cejudo", afirmou Chael.

Apesar de seus conselhos públicos, Sonnen afirmou que não está muito otimista quanto à aceitação de suas palavras. De acordo com o ex-desafiante ao título dos médios (84 kg) e meio-pesados (93 kg) do UFC, ao que tudo indica, Henry não mudará seu jeito de aparecer para os fãs do evento.

"Tenho a sensação de que na próxima vez que veremos Cejudo ele vai estar com um sorriso no rosto, vai se enrolar numa bandeira americana e mexicana e vai falar dos bons e velhos tempos em casa com sua mãe. E na história das lutas, um sorriso, bandeiras e uma mãe nunca venderam uma luta no sábado à noite", concluiu.

Chael vai voltar ao cage circular do Bellator ainda este ano, contra Fedor Emelianenko, pelas semifinais do GP dos pesados da organização. O americano vem de duas vitórias consecutivas: uma contra Wanderlei Silva, no ano passado, e outra contra Quinton 'Rampage' Jackson, nas quartas de final do torneio, este ano.

Mais Esporte