Topo

Esporte

Barnett confirma saída do UFC, culpa USADA e promete "voltar aos primórdios do MMA"

Ag. Fight

Ag. Fight

25/06/2018 12h51

Quatro dias depois das primeiras notícias sobre a negociação entre Josh Barnett e o UFC para um acordo que permitisse a saída do peso-pesado da organização, o veterano confirmou publicamente que já está sem contrato como show. Por intermédio de um comunicado à imprensa, o americano anunciou que deseja "voltar aos primórdios do MMA" e fazer lutas em lugares exóticos contra oponentes desconhecidos.

Usando metáforas dos jogos de role-playing games (RPG) dos quais é fã, Barnett afirmou que fora do Ultimate vai poder criar as próprias histórias e montar os próprios "planos de batalha". Aos 40 anos e ciente dos poucos anos que lhe restam como lutador profissional, o americano deve buscar novos mercados.

"O UFC tem uma estrutura para criar suas histórias, do jeito deles. E é uma boa maneira. Só não é o meu jeito, não é a minha história. O chamado para a aventura ainda está dentro de mim e eu desejo exercê-lo. Eu anseio voltar mais para o caminho dos primórdios do MMA, viajando pelo mundo para lugares exóticos, para enfrentar, com diferentes regras, ringues ou cages, lutadores que estão sob o radar. Enfrentar o desconhecido. Há muitos atletas e lugares em que eu quero lutar. Seguindo o meu próprio caminho, posso tentar criar essa história e tornar essas oportunidades uma realidade, uma realidade que eu não construiria se eu ficasse no UFC", escreveu, em comunicado publicador pelo site 'MMA Fighting'.

Declarando que pretende "ir além da burocracia", Barnett acenou com a hipótese de não se prender ao MMA. Na nota oficial, ele mencionou a possibilidade de competir no grappling e no pro-wrestling, administrando as oportunidades como bem entender.

"Como uma peça no quebra-cabeça do UFC, eu teria que trabalhar para a narrativa deles, como se deve esperar. Há muitas histórias ainda a serem contadas em minha carreira, e quero ser a única pessoa a determiná-las. Sem influência. Para fazer isso completamente, eu preciso ir sozinho. Tenho de ser o arquiteto do meu destino. O UFC tem sido muito bom para mim e um ótimo lugar para lutar, mas, com o tempo que me resta neste esporte, eu preciso ser o único a criar os planos de batalha", publicou.

No fim de 2016, Josh foi suspenso provisoriamente pela USADA (agência antidoping americana) e acabou recebendo uma punição de quatro anos sem lutar. Ele recorreu a um tribunal independente, que lhe deu ganho de causa. Segundo o atleta, a guerra jurídica minou suas vontades de continuar sob a vigilância da agência.

"O fiasco com a USADA no último ano e meio também influenciou minha decisão de sair do UFC. Sua teimosa insistência em me punir pelo que eles sabiam ser uma questão de contaminação era antiética. Foi inaceitável que eles pudessem fabricar qualquer razão para aumentar as punições contra mim", declarou.

"Não posso, em sã consciência, acreditar que eles ajam de boa-fé. Ou, talvez, até desejem procurar algum tipo de vingança, na tentativa de anular minha vitória contra eles nos tribunais. Não é o tipo de ambiente em que quero passar os últimos anos da minha carreira", encerrou.

Antes do flagra dado pela USADA, Barnett já havia sido pego no antidoping três vezes: uma depois do UFC 34, quando venceu Bobby Hoffman; outra depois do UFC 36, quando derrotou Randy Couture pelo título dos pesados; e a última em 2009, antes do que seria um duelo com Fedor Emelianenko pelo extinto evento Affliction.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte