Topo

Esporte

Presidente do Bellator cita Fedor como possível rival de Lyoto e prevê evento no Brasil em 2019

Ag. Fight

27/06/2018 10h29

Não deu certo em 2018, mas, pelo menos segundo o presidente do Bellator, Scott Coker, o evento deve vir ao Brasil no ano que vem. Na cerimônia de anúncio do acordo com a plataforma de streaming DAZN, o executivo afirmou ao site 'MMA Fighting' que a contratação de Lyoto Machida aumenta a possibilidade de ser realizado um show no país. Além disso, citou que Fedor Emelianenko pode ser um adversário para o brasileiro.

Coker declarou que a intenção de Lyoto é lutar tanto entre os médios (84 kg), sua categoria atual, quanto nos meio-pesados (93 kg), divisão na qual foi campeão do UFC. Mas, como mostrou interesse em enfrentar Fedor, Scott deu a entender que não é impossível vê-lo num combate peso-pesado. Machida já fez, contra Rich Franklin, em 2003, e BJ Penn, em 2005, combates, respectivamente, com peso acima do meio-pesado e com peso aberto. O dirigente do Bellator mostrou otimismo em usar essa versatilidade de Lyoto a favor do evento.

"Essa contratação acabou de acontecer, dois ou três dias atrás. (...) Mas ele me falou que quer lutar em ambas as categorias, quer se manter ocupado, e que vai lutar com qualquer um. Então, acho que temos bons meio-pesados e bons médios contra quem ele pode lutar. Quem sabe o vencedor de Mousasi vs Rory não possa enfrentar Lyoto em algum momento, ano que vem... Ele me disse que quer enfrentar Fedor também. Então, vamos ver. Temos muitas boas lutas para ele", declarou.

"Vamos ver como Fedor se sai no torneio. Ele está concentrado para Chael, mas se ele se tornar o campeão e Lyoto quiser enfrentar Fedor, por que não? Por que não colocaríamos os dois para lutar? Seria divertido", completou.

Neste ano, o Bellator chegou a ensaiar uma negociação para trazer o combate entre Wanderlei Silva e Quinton 'Rampage' Jackson para a Arena da Baixada, em Curitiba - mesmo local que recebeu o UFC 198, em 2016. No fim, o duelo acontecerá em San Jose (EUA). Mas, de acordo com Coker, a chegada de Machida auxilia o processo de aproximação da organização com o Brasil.

"Ele fez as coisas ficarem mais fáceis. Com Wanderlei Silva, Douglas Lima, Lyoto agora, os irmãos Pitbull, temos algumas grandes estrelas brasileiras que podemos colocar em um card incrível. Em algum momento, acho que em 2019, você nos verá no Brasil com todas essas estrelas", finalizou.

Lyoto chega ao Bellator tendo emendado duas vitórias pela primeira vez desde 2013-2014, quando venceu Mark Muñoz e Gegard Mousasi - atual campeão da organização. Ainda no UFC, derrotou Eryk Anders e Vitor Belfort, antes de encerrar seu contrato.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte