Topo

Esporte

Hall da fama do UFC é citado em investigação de fraude milionária nos EUA

Diego Ribas e Natássia del Frate, nos EUA

Ag. Fight

29/06/2018 09h00

Um integrante do hall da fama do UFC foi citado em um caso de investigação de suborno e fraude contra seguradoras de saúde que descoberto pela Justiça dos Estados Unidos. Nessa quinta-feira (28), o médico Frank Patino, que patrocinou diversos atletas por meio de sua empresa 'Patino Diet' - um programa alimentar destinado a auxiliar competidores de alto rendimento a perderem peso - foi indiciado por um tribunal e preso como cabeça de um esquema

Além do atleta do Ultimate mencionado, estão citados mais dois lutadores de MMA e um boxeador profissional. Destes, apenas Josh Burns, peso-pesado que passou pelo Bellator entre 2011 e 2015, foi identificado no laudo do processo. A informação foi revelada em primeira mão pelo jornal 'Detroit News'.

De acordo com a publicação, os promotores americanos descobriram que Burns e Patino lideraram um esquema que teria movimentado US$ 112 milhões - o equivalente a R$ 432 milhões - através de propinas, subornos e receituários falsos de medicamentos, além de testes de urina e antidoping, desnecessários ou mascarados, com laboratórios não identificados.

Dentre as ilegalidades, Patino teria liderado a revenda de comprimidos de oxycodone 30 mg, um derivado da morfina usado como anestésico. Entre 2016 e 2017, o médico prescreveu mais de dois milhões deste remédio, e parte desse montante teria sido destinado o 'mercado negro'.

Ainda segundo os promotores americanos, o médico ocultava a origem do dinheiro por meio de contratos de fachada. Cerca de R$ 386 mil teriam sido usados em alguns patrocínios a lutadores de MMA e boxe, que se beneficiariam do esquema. Não há indicativo de como eles teriam feito parte do esquema.

No laudo, ainda consta que, além do recebimento de dinheiro através do patrocínio da 'Patino Diet', algumas transferências para lutadores eram feitas diretamente da conta pessoal de Burns. Uma delas, no valor de R$ 11,5 mil, teria sido feita para um ex-campeão do Ultimate. No mesmo dia, R$ 3,8 mil saíram da conta do ex-lutador do Bellator para uma empresa de agenciamento de atletas de MMA. O dinheiro, segundo a Justiça americana, era parte do pagamento para uma academia que serviu como 'embaixadora' da Patino Diet.

Embora a equipe não tenha sido revelada pelos promotores, o Detroit News afirmou que, em 2013, a equipe Alpha Male, comandada por Urijah Faber, ex-lutador do UFC, divulgou um comunicado no qual se denominava embaixadora da marca. "Uma dieta e um estilo de vida saudáveis sempre foram elementos centrais do sucesso da Alpha Male. Dr. Patino traz fartura de conhecimento nesta área. Estamos muito felizes com esta parceria", declarou Urijah, à época.

Em comunicado oficial enviado à reportagem da Ag. Fight, Faber afirmou desconhecer qualquer prática ilegal que envolva seu nome e garantiu que sua conexão, assim como a do time 'Alpha Male', com o doutor Patino, foi pontual para o lançamento do livro 'Patino Diet'.

"Tivemos um breve patrocínio com o Dr. Patino para promover seu livro, o 'Patino Diet'. Não tenho nenhuma relação com esses testes de urina, eu nem sobre o que é isso. A pessoa de quem eles estão falando não sou eu. Dr. Patino escreveu um livro, na foto estou segurando o livro e essa é a minha conexão com o cara. É engraçado que meu nome seja envolvido com isso, mas acho que é porque sou dono do time", afirmou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte