Topo

Esporte

'Jacaré' ressalta treino inteligente para lidar com seus 38 anos: "Não posso fazer nada errado"

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

14/09/2018 08h00

Ronaldo 'Jacaré' enfrenta David Branch no UFC 230, em Nova York, no dia 3 de novembro. E, até lá, ele tem uma certeza: não pode cometer erros na preparação, porque já sentiu na pele que seu corpo não reage mais da mesma maneira. Buscando treinos mais inteligentes e ainda confiante em suas capacidades, o brasileiro declarou, em entrevista exclusiva à Ag. Fight, que ainda pode cumprir as seis lutas restantes de seu contrato com o Ultimate enfrentando adversários mais novos de igual para igual.

O lutador de 38 anos analisou seu último combate, uma derrota em decisão dividida para Kelvin Gastelum, em maio. Jacaré disse estranhar ter sido apontado como o perdedor pelos juízes em todos os seus duelos equilibrados, como contra Luke Rockhold, em 2011, e Yoel Romero, em 2015. Além disso, revelou que um problema físico na etapa final do corte de peso influenciou em um desempenho "muito abaixo" do que esperava.

"Eu já tenho uma certa idade, então, toda vez que eu faço alguma coisa de errado, meu corpo demora para recuperar. Não é como antigamente. Eu tive uma perda de peso muito ruim, e isso influenciou bastante na minha luta. Mas, independentemente de qualquer coisa, acho que essa luta poderia ter ido para mim também. E é estranho, porque todas as vezes que a luta é muito apertada, muito dura, ninguém nunca me deu a vitória. Mesmo quando eu tinha vencido. Então, é estranho, mas são coisas que a gente tem de deixar de pensar e trabalhar e andar para frente", afirmou.

"Eu estava no Rio de Janeiro para perder o peso, e a sauna do hotel era muito complicada. Era a vapor, muito quente. Então, peguei minha capa de perder peso e pulei uma corda. Vi que meu peso estava descendo bem e então continuei. Nisso de pular corda durante muito tempo, eu machuquei minhas pernas. Eu senti bastante. Após a pesagem eu estava sentindo cãibras, algo que eu nunca tinha sentido antes, então foi bem complicado para mim", completou.

O brasileiro também avaliou quanto tempo lhe resta de carreira em alto nível. De acordo com Ronaldo, mesmo que o corpo não responda como antes, ainda lhe resta gás para manter a trajetória vitoriosa dentro do UFC. E seu passado recente mostra isso: em apenas uma de suas últimas cinco lutas Jacaré não ganhou um bônus da empresa por performance ou luta da noite.

"Eu não rendo mais como quando eu tinha 30 anos, mas eu estou me sentindo bem. Em compensação, a gente aprende a treinar de uma forma mais inteligente. E o que está me deixando ainda a fim de lutar é que eu sinto que posso fazer grandes lutas, que estou saudável. Mas é a realidade: eu estou com certa idade e não tenho mais muito tempo de carreira. Daqui a pouco eu já estou pensando em pendurar as luvas", analisou.

Entre as metas que pretende cumprir antes de parar, está evitar um desgaste físico desnecessário ? tanto no excesso de lutas quanto na perda de peso. Ao lembrar que viveu o auge físico quando ainda lutava jiu-jitsu, Jacaré afirmou estar realizado com aquilo que construiu e enumerou seus objetivos restantes na carreira.

"Terminar meu contrato com o UFC, agora, e fazer tudo certo. Eu não posso fazer nada de errado mais, lutar uma luta perto da outra, que meu corpo também... Essas coisas pesam muito para mim agora. Perder peso, lutar uma luta em cima da outra. Mas, fora isso, eu estou lutando de igual para igual com esses garotos aí", afirmou.

Profissional desde 2003, Jacaré tem 25 vitórias, seis derrotas e um 'no contest'. O capixaba foi campeão do extinto Strikeforce, tendo defendido seu cinturão uma vez com sucesso, antes da já citada derrota para Rockhold.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte