Topo

MMA

Sheetara explica lesão que a obrigou a deixar octógono em cadeira de rodas

Leandro Bernardes/Ag. Fight
Mayra Sheetara vence Gillian Robertson no UFC São Paulo Imagem: Leandro Bernardes/Ag. Fight

Felipe Paranhos e Marcel Alcantara

Ag. Fight

24/09/2018 07h00

Nem a torção no joelho tirou o sorriso do rosto de Mayra Sheetara, que estreou com vitória no UFC São Paulo no último sábado (22). A lutadora mineira se machucou logo no começo do duelo contra Gillian Robertson, mas, antes que acabasse o assalto inicial, ela conseguiu encaixar uma chave de braço que fez com que a canadense desistisse do combate. No entanto, imediatamente após levantar para comemorar, a brasileira desabou com dores no joelho e precisou de uma cadeira de rodas para voltar aos vestiários.

Em entrevista que contou com a reportagem da Ag. Fight, Sheetara detalhou como ocorreu a lesão. Durante o assalto inicial, a brasileira foi derrubada duas vezes por Robertson. Numa delas, sentiu o joelho. Nos segundos finais do round, a atleta da Chute Boxe Diego Lima encontrou um armlock obrigou a canadense a desistir da luta. O golpe foi providencial, já que dificilmente a mineira teria condições de retornar para o segundo round.

"Na primeira queda que ela me deu, eu torci o joelho. Aí, quando começou a desenrolar no chão, não consegui desenvolver meu jogo de guarda, porque eu me machuquei muito cedo. Mas consegui o armlock ali e ela bateu antes que fosse para o intervalo", detalhou.

"Quando eu consegui encaixar o braço e ouvi bater, eu pensei: 'Nossa!'. Foi um tiro de misericórdia esse armlock. O meu espírito é de guerreira (...), mas não sei se daria para lutar, porque eu não conseguiria pisar no chão", completou.

Eufórica pelo triunfo, Mayra afirmou ainda não saber quão grave é sua lesão. Com expectativa de lutar novamente até o final do ano, a mineira terá que esperar o diagnóstico dos médicos para traçar os planos para o futuro.

"Ainda não fui no médico, mas não estou conseguindo firmar muito bem o joelho no chão. Eu me preocupo um pouco, ninguém planeja se machucar. Eu queria logo voltar a treinar, para lutar em dezembro, (...) mas a gente vai ver a gravidade da lesão no joelho antes de dar o próximo passo", disse.

Aos 27 anos, Sheetara está invicta na na carreira profissional. Natural de Uberlândia, a mineira chegou ao UFC por intermédio do programa 'Contender Series Brasil' e acumula agora cinco vitórias em seu cartel como lutadora de MMA.