Topo

Esporte

Campeão peso-mosca do UFC desdenha de reclamação de McGregor; entenda

Ag. Fight

09/11/2018 13h30

Não demorou para que Conor McGregor recebesse respostas de sua cobrança pública ao ONE, liga asiática de MMA. O irlandês acusou o presidente da companhia, Chatri Sityodtong, de causar o fim da categoria peso-mosca (57 kg) do UFC ao contratar Demetrious Johnson, na troca com o meio-médio (77 kg) Ben Askren. Mas Henry Cejudo, campeão da divisão que pode ser dissolvida, desdenhou da reclamação de Conor.

O medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 foi um dos atletas que rebateram a crítica de McGregor. Tendo a hipótese de uma defesa de cinturão especulada nas últimas semanas, Cejudo, em outras palavras, pediu que Conor cuidasse da própria vida em vez de palpitar na categoria alheia.

"Não se preocupe com a divisão mosca, Conor. Você deveria se preocupar com seu wrestling, suas habilidades no grappling e seu espírito", escreveu, em uma referência à derrota do irlandês para Khabib Nurmagomedov, craque na luta agarrada, no início de outubro. O campeão mosca (57 kg), porém, deletou o tweet, mas não antes que publicações americanas registrassem a mensagem.

Henry não foi o único a criticar o posicionamento de Conor. Também via Twitter (veja abaixo ou clique aqui), Ben Askren ironizou o comentário do irlandês. "Quando The Notorious se tornou um guerreiro da justiça social? Nenhuma das suas presepadas nunca custou a ninguém um pagamento", ironizou. Nas vésperas do UFC 223, McGregor atirou um carrinho de câmera contra um ônibus onde estavam os lutadores do evento. Os estilhaços feriram Ray Borg, que não conseguiu lutar no show.

When did @TheNotoriousMMA become a social justice warrior??? None of his antics have ever cost anyone a paycheck ? https://t.co/XcrkIh1Imv

- Ben Askren (@Benaskren) November 8, 2018

Mais Esporte