Topo

MMA

Mutante credita vitórias e evolução a aprendizado do básico na MMA Masters

Brandon Magnus/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Cezar Mutante acerta chute em Nate Marquardt durante luta pelo UFC Norfolk Imagem: Brandon Magnus/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

14/11/2018 06h00

Cezar 'Mutante' tem uma trajetória incomum como profissional. Chegou ao UFC com poucas lutas em seu cartel e já viveu diretamente o estrelato ao ganhar a histórica primeira edição do 'TUF Brasil'. Depois, porém, sofreu três derrotas em quatro combates e por pouco não foi demitido. O que parecia ser o fim de sua jornada na maior organização de MMA do mundo, porém, foi o início de sua redenção. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o paulista afirmou que a MMA Masters, equipe da qual faz parte há três anos, foi fundamental para que ele se reencontrasse dentro do octógono - onde estará mais uma vez neste sábado (17), quando enfrenta Ian Heinisch no UFC Buenos Aires.

Desde que chegou à academia, sediada no estado americano da Flórida, 'Mutante' venceu cinco de suas seis lutas, tendo superado Oluwale Bangbose, Anthony Smith, Jack Hermansson, Nate Marquardt e Karl Robertson. A única derrota do brasileiro nesta sequência foi para o canadense Elias Theodorou, em um resultado contestado e que soou 'caseiro' em favor do lutador da casa, já que o evento aconteceu em Halifax (CAN). Cezar creditou toda a sua evolução ao trabalho de Cesar Carneiro e Daniel Valverde, principais treinadores da MMA Masters, que o fizeram recomeçar a carreira como um iniciante.

"Quando eu mudei da Blackzilians, estava vindo de uma lesão de coluna muito grande , vindo de duas derrotas, meio desacreditado, e os caras vieram com uma nova proposta. Uma proposta de reforçar o básico. Eu sou um dos poucos atletas que fez a carreira inteira dentro do UFC. Se você parar para analisar comigo, quando eu ganhei o TUF, eu tinha só seis lutas: quatro vitórias e duas derrotas. Eu era um iniciante. Então eu tive que ter a humildade de voltar lá, de aprender o básico. Quando eu cheguei, eles faziam comigo aquelas 'escolinhas' de iniciante, mesmo, eu ficava até: 'Será que é isso mesmo?' Aí, nos treinos, o negócio aconteceu. Falei: 'Pô, esse é o caminho. Vamos abaixar a bola e aprender de novo'. Que nem no filme do Rocky, né, vamos voltar para o começo", declarou à Ag Fight.

"Tinham vários buracos no meu jogo básico que tinham de ser consertados, e eu pulei etapas. E eles me fizeram ter humildade, olhar para dentro de mim e reconhecer onde você é bom, onde você é mais ou menos e onde você é muito ruim, e ter paciência para ir na academia todo dia e fazer o que tem de fazer. Depois disso, a gente praticamente ganhou todas as lutas. São cinco vitórias em seis lutas, e a derrota que a gente teve foi super contestada. Na minha opinião a gente ganhou a luta e todo mundo falou isso, então moralmente a gente tem seis vitórias seguidas. Eu estou amarradão, aprendendo a cada dia que passa e estou muito feliz de ter sido escalado para lutar no primeiro UFC na Argentina", completou.

Segundo o atleta de 33 anos, a maturidade e a evolução como lutador nos últimos anos alterou a sua abordagem em relação à estratégia de combate. 'Mutante' afirmou que, hoje, ao analisar seus rivais, não se concentra apenas na tentativa de explorar uma brecha, enxergando o MMA como algo mais complexo e completo.

"Quando o atleta assume que vai fazer uma coisa na luta, pode ser que chegue lá na hora e não ache o timing, fique frustrado e as coisas não acontecem. Nas vezes que eu fui lutar tentando fazer uma ou duas técnicas, eu não conseguia achar o tempo, eu ficava com a cara parada lá e o cara me acertava", disse, citando o embate contra Gustavo 'Labareda', que assegurou sua vaga no TUF Brasil.

"Quando eu fui lutar com o Labareda, eu não consegui fazer nada. Eu só apanhei a luta inteira. Estava bem forte, no gás, mas tudo o que eu fazia dava errado. A sorte foi que no final eu consegui tirar uma guilhotina da cartola e ganhar a luta, senão eu estava ferrado.Hoje eu vou para a luta hoje deixando o jogo acontecer, sem pensar especificamente em uma técnica ou outra. Eu penso no geral. Lógico que eu penso no que vou fazer, treino antes, mas penso na estratégia geral", avaliou.

'Mutante' enfrentaria Tom Breese na estreia do UFC na Argentina, mas uma lesão tirou o inglês do show. Ele foi substituído por Ian Heinisch, ex-LFA e Contender Series. Além de Cezar, outros cinco brasileiros estão no card: Anderson 'Berinja', Alexandre Pantoja, Michel 'Trator', Poliana Botelho e Johnny Walker.