Topo

Esporte


Vitória garantida? 'Shogun' ironiza retrospecto curioso no UFC; entenda

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

30/11/2018 16h27

Maurício 'Shogun' Rua, um dos maiores nomes da história do MMA, vive um retrospecto recente no UFC no mínimo curioso. Em suas últimas oito lutas, o peso-meio-pesado (93 kg) somou quatro vitórias e quatro derrotas. E coincidentemente, nos reveses, o curitibano fazia parte da luta principal da noite, e nos triunfos, o atleta da 'Universidade da Luta' estava entre os coadjuvantes dos shows. Neste sábado (1º), o brasileiro não será o centro dos holofotes, o que pelo menos de acordo com os números, é um bom sinal.

Em entrevista exclusiva à equipe de reportagem da Ag Fight, Shogun admitiu que já tinha reparado nessa coincidência. Apesar do retrospecto negativo quando lidera os cards, ele afirma que ser protagonista não atrapalha em nada na preparação para a luta. Mas, em tom bem-humorado, o curitibano comemorou o fato de não ser a atração principal do UFC Adelaide (AUS) - posto ocupado por Júnior 'Cigano' e Tai Tuivasa.

"Eu acho que não , mas que bom que vou ser co-main event agora, né? Na verdade eu não sei se isso influencia em alguma coisa, pode ser que sim, não sei. Mas é uma coisa engraçada, uma estatística engraçada", revelou o brasileiro, ao confessar que já havia pensado na estranha coincidência.

Aos 37 anos, o ex-campeão do UFC talvez tenha desperdiçado sua derradeira chance de disputar o cinturão do Ultimate na carreira ao ser nocauteado por Anthony Smith em seu último compromisso. Tanto que, pelo menos por ora, o brasileiro admitiu que não pensa no título da liga de MMA mais disputada do mundo.

"Não, hoje não. Para disputar cinturão tenho que vencer algumas lutas, e não penso em cinturão por enquanto. Não penso por enquanto, porque sei que não está próximo de mim, entendeu? Se eu estivesse perto de um 'title shot', é lógico que eu pensaria. Porque às vezes é muito frustrante você pensar em uma coisa que está muito distante", analisou o meio-pesado.

"Derrota é sempre muito ruim. Se eu venço a luta era capaz de disputar o cinturão. Tem muitas coisas que iriam me beneficiar com essa vitória, mas eu perdi. Derrota nunca é bem-vinda, então temos que superar e pensar na próxima", projetou Shogun, em conversa exclusiva com a Ag Fight.

Veterano, Maurício já realizou 18 combates só no UFC, Tyson Pedro, seu adversário no sábado será o 19º oponente que o brasileiro enfrentará dentro do octógono mais famoso do mundo. Shogun revelou que seu contrato atual com o Ultimate consiste nessa luta e em mais dois duelos posteriores. O atleta afirmou que pretende cumprir seu vínculo até o fim e desconversou ao ser questionado sobre aposentadoria.

"Na verdade, eu encaro cada luta como se fosse minha última luta. A hora que eu vou parar ainda não sei direito, mas luto cada luta como se fosse a última", declarou o curitibano.

Ao longo de sua trajetória como profissional de MMA, Shogun somou, até o momento, 25 vitórias e 11 reveses. O brasileiro atualmente ocupa a 13ª posição da categoria até 93 kg do UFC.

Mais Esporte