Topo

MMA

Shogun supera início dramático e nocauteia Tyson Pedro no UFC Adelaide

Alexandre Loureiro / Inovafoto
Imagem: Alexandre Loureiro / Inovafoto

Ag. Fight

02/12/2018 03h46

Nitidamente mais lento do que o rival, Shogun mostrou muitas dificuldades para lidar com as combinações de Pedro. O australiano, por sua vez, apostava alto demais em seus golpes e deixava espaço para bons contragolpes do ex-campeão da categoria. Apesar de Maurício ter abalado o adversário com uma esquerda, grande parte do primeiro round teve ampla vantagem de Tyson, que por pouco não nocauteou o brasileiro em duas oportunidades. Apesar de bastante abalado por cruzados, uppers e joelhadas no rosto, o paranaense conseguiu 'sobreviver'.

No segundo round, Shogun usou a experiência para superar a situação adversa do assalto anterior. O brasileiro entrou no clinch, chegou às costas e conseguiu levar o oponente ao chão. Assim, Maurício pôde passar três minutos e meio por cima no solo. O domínio lhe rendeu a vitória no round e um certo descanso.

Os minutos finais comprovaram a virada que se iniciou no segundo assalto. O brasileiro, que estava mais cansado do que o rival, dez anos mais novo, de repente se viu mais inteiro e, em pé, acertou um cruzado que lançou Tyson ao chão. O 'ground and pound' apenas sacramentou o nocaute.

Com o resultado, Maurício se redime de uma derrota no primeiro round para Anthony Smith, no UFC Hamburgo, em julho. O triunfo sobre Pedro representa a quarta vitória em cinco lutas.

Outros combates

O card principal foi aberto por uma luta agitada, mas sem muita qualidade técnica. Os meio-pesados (93 kg) Paul Craig e Jim Crute fizeram um duelo transcorrido principalmente no chão, com reversões e raspagens ocasionadas por erros de um e de outro. A alta intensidade das trocas de posição no solo rapidamente minou o preparo físico dos dois, que reduziram o ritmo à medida que os rounds passavam. Com um pouco mais de energia, Crute conseguiu uma kimura no fim do terceiro assalto e manteve seu cartel invicto.

Depois, Sodiq Yusuff e Suman Mokhtarian fizeram um confronto muito aberto desde o soar do gongo. Dedicados à trocação franca, os dois pesos-penas (66 kg) se expuseram e arriscaram muito. E, neste contexto, quem levou a melhor foi aquele que mostrou golpes mais rápidos: Yusuff logo acertou cruzados que abalaram o rival e o deixaram em modo de sobrevivência. Mokhtarian até reclamou de uma suposta interrupção precoce, mas logo em seguida aceitou a derrota.

Queridinho da torcida, Jake Matthews encaminhava uma vitória por decisão quando Tony Martin - que agora quer ser conhecido como Anthony Rocco Martin - capitalizou em cima de um erro do 'Celtic Kid'. No terceiro round, Matthews repetiu o vício de abaixar a cabeça ao entrar com um overhand e acabou atingido por um upper. No chão, o americano rapidamente encaixou uma gravata japonesa e finalizou o australiano.

Na antepenúltima luta do card, Mark Hunt não conseguiu encerrar sua passagem no UFC com um triunfo. Apesar de um início empolgante, usando a esquiva para frustrar os ataques de Justin Willis, o 'Super Samoano' sentiu demais um corte na canela e a falta de preparo físico, tornando-se muito lento a partir do segundo assalto. Nos minutos finais, Willis praticamente acertou todos os golpes que atirou no veterano. No fim, a torcida local sofreu a segunda frustração seguida com um atleta da Oceania. Hunt saiu do UFC Adelaide com card negativo: o peso-pesado de 44 anos tem, agora, 13 vitórias, 14 derrotas, um empate e um 'no contest'.