Topo

MMA


Amanda Nunes dedica cinturão ao Brasil e promete 'cervejinha' para celebrar

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Amanda Nunes comemora após vitória contra Cris Cyborg Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Diego Ribas, em Inglewood (EUA)

Ag. Fight

30/12/2018 12h03

Amanda Nunes nocauteou Cris 'Cyborg' no primeiro round do co-main event do UFC 232, realizado em Inglewood (EUA) no último sábado (29), e se adiantou ao revelar seus planos para os próximos dias. Provavelmente cansada pelo camp de preparação para o duelo, a atleta deixou claro que pretende tirar um período de 'férias' para relaxar após a temporada histórica.

Durante a entrevista coletiva após o evento, a 'Leoa' aproveitou para dedicar a vitória ao Brasil. O gesto foi possivelmente uma resposta as críticas que a baiana sofreu de Cyborg durante a promoção da luta, que a chamou de 'creonte' e afirmou que Amanda não respeitava os fãs de seu país de origem.

"Acho que vou lutar com o Daniel Cormier agora (risos). Vamos ver daqui para frente o que vai acontecer. Tudo muda rápido nesse mundo. Não vou desafiar ninguém. Só quero aproveitar e ninguém vai tirar isso de mim. Tomar uma cervejinha, relaxar, falar com o povo brasileiro, esse título é nosso. Vou para o Brasil comemorar com a minha família. Tenho orgulho do Brasil. Tive que sair do país para conquistar os meus sonhos, tive que sair para não parar de lutar. Era necessário para isso tudo acontecer. Espero que todos estejam felizes. Alguns podem estar tristes pela Cris. Mas faz parte do show", declarou Nunes.

Com o triunfo desse sábado, Amanda se tornou a primeira mulher na história do UFC a conquistar dois cinturões simultaneamente. Agora campeã dos pesos-galos (61 kg) e também dos pesos-penas (66 kg), a brasileira analisou o momento único na carreira e relembrou a trajetória que a levou até o topo do MMA mundial.

"Estou feliz comigo mesma, é o mais importante. Tudo que aconteceu na minha vida vocês acompanharam. Sempre estava bem e confiante de que seria a pessoa que mudaria isso. Fico muito feliz com os planos do Dana. É muito importante. Ele agora tem uma campeã em duas categorias e fiz história mais uma vez. Sempre tenho que provar e gosto disso. Isso me faz forte, é por causa disso que sou a atleta de hoje. O mais importante é entrar e fazer história. Ganhar, é isso o que eu penso. Fico feliz em ter o que conquistei hoje por conta do meu trabalho", finalizou a bicampeã baiana.

O posto de 'imbatível' que estava atrelado a Cris Cyborg parece ter passado para Amanda após o incrível triunfo em apenas 51 segundos. Agora cabe ao UFC a complicada missão de escalar uma adversária qualificada o bastante para ameaçar o reinado soberano da Leoa na organização.