Topo

MMA


Cyborg reclama por não poder falar com fãs após revés: "Me mandaram embora"

Gary A. Vasquez-USA TODAY Sports
Cris Cyborg é atendida após ser nocauteada por Amanda Nunes no UFC 232 Imagem: Gary A. Vasquez-USA TODAY Sports

Diego Ribas, em Inglewood (EUA)

Ag. Fight

30/12/2018 07h16

Favorita para defender seu cinturão dos pesos-penas (66 kg) contra Amanda Nunes neste sábado (29), Cris 'Cyborg' não teve chances diante da rival, que em dia iluminado liquidou a fatura em menos de um minuto. Para piorar, logo após a derrota, a curitibana esperou no octógono para poder mandar uma mensagem para os fãs, o que lhe foi negado.

Presente na coletiva de imprensa após o evento, Cyborg foi direta ao questionar os motivos que levaram a organização do show a impedi-la de falar no microfone. Única campeã dos penas da história até então, a atleta mora em Los Angeles (EUA) e era uma das grandes atrações do show.

"Apenas me mandaram embora. Achei ruim e um desrespeito. Fiz muito pelo esporte e não pude falar 'oi'. Queria falar com eles. Mas posso ir na mídia e falar, agradecer por terem vindo me ver. É ok, mas acho que poderia ter falado para os fãs brasileiros", reclamou.

Apesar de ter sido nocauteada em menos de um minuto, Cris passou por momentos de tensão no combate ao resistir a três knockdowns. E apesar do desempenho abaixo do esperado, a atleta exaltou sua resistência, que serviu de exemplo para seus fãs.

"Sempre mostrei determinação. Sobre dar continuidade no meu sonho. É o que tento mostrar para os fãs. Não desistir. Foi algo que demorou para alcançar. Não peguei caminho fácil, meu caminho foi longo e com várias pedras. Isso mostra para os fãs que tem que dar continuidade. Por isso recebi várias mensagens. Eles estão comigo na derrota e na vitória", declarou orgulhosa.