Topo

MMA


'Pedrita' revela drama com lesão e derrota na estreia no UFC

Jason Silva/AGIF
Priscila Pedrita "Zombie Girl" perde para Valentina "Bullet" Shevchenko Imagem: Jason Silva/AGIF

Ag. Fight

2019-01-26T11:15:52

26/01/2019 11h15

Priscila 'Pedrita' estreou no UFC em fevereiro de 2018, contra Valentina Shevchenko, após uma sequência de oito vitórias consecutivas como profissional. No entanto, a carioca teve uma grave lesão no joelho ainda no início do duelo e acabou duramente castigada pela atual campeã peso-mosca (57 kg). Além de atrapalhar o desempenho no octógono, o rompimento do menisco e do ligamento cruzado também levou a brasileira à mesa de cirurgia, o que quase pôs fim à sua carreira, já que, com dificuldades durante o pós-operatório, ela sofreu a ponto de pensar em "largar tudo".

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, 'Pedrita' explicou que a derrota seguida de lesão "mexeu muito" com a sua cabeça. Além disso, ela já não podia nem mesmo treinar por causa da cirurgia e ainda contraiu dengue hemorrágica durante a recuperação, o que retardou o processo. Deste modo, ela avisou ao seu treinador, Gilliard 'Paraná', que abandonaria o octógono. Porém, o "mestre" conversou com Priscila e a fez relembrar de vitórias do passado, como quando superou a perda do pai, o abuso sexual, o vício em drogas... E isso, segundo a atleta, reacendeu o desejo de retornar ao caminho dos triunfos.

"Foi uma fase muito ruim na minha vida. Muito sofrida. Sofri muito a ponto de querer largar tudo. Mas, como eu falei anteriormente, eu tenho um pai. Ele ('Paraná') foi lá em casa, porque eu tinha desistido já, vinha de uma sequência de vitórias, lutando direto. (...) E, do nada, parei. Derrota seguida de lesão. A minha cabeça mexeu muito. (...) Não tive estrutura mental nesse período para suportar, a lesão mexeu muito com a minha cabeça. Sofri muito, porque eu parei de fazer o que amo, pessoas que diziam me amar sumiram, o dinheiro acabou... E eu falei que não queria mais. 'Acabou, desisto.' Porque na minha cabeça eu não ia conseguir voltar da lesão, pois no meio da recuperação, no quinto mês, peguei uma dengue hemorrágica que retardou o tratamento demais", revelou.

"E eu falei para o mestre: 'Quero parar, não vou mais continuar'. Ele foi lá em casa e quando botou o pé dentro do portão falou assim: 'Eu só saio daqui com a minha Pedrita'. Dali, eu já comecei a chorar. É um filme que passa na minha cabeça, de tudo o que passei, de tudo o que superei na minha vida. A perda do meu pai, abuso sexual, drogas... E, hoje, o meu maior sonho agora é poder ser vencedora dessa luta e dizer para o meu mestre que o campeão foi ele, só fui uma discípula, e o campeão dessa luta é ele. E que a 'Pedrita' dele voltou. Esse é o meu maior sonho", completou.

Agora "100%" recuperada, a brasileira buscará o primeiro triunfo pela organização em seu próximo desafio no Ultimate, contra Molly McCann, no dia 16 de março, em Londres (ING). Na conversa com a Ag Fight, 'Pedrita' - que acumula um cartel profissional de oito triunfos e um revés - contou que trata o duelo como a "verdadeira estreia no UFC" e que planeja mostrar ao mundo que o atleta de MMA tem a responsabilidade de fazer mais do que "mostrar luta e vitória": deve passar exemplos.

"Já voltei ao meu peso, voltei à minha forma física, estou bem preparada para essa luta, sem lesão, e vou poder mostrar uma 'Pedrita' 100%. Na verdade, 100% um lutador nunca está. Sempre tem uma dorzinha aqui, uma dorzinha ali, porque luta é isso, mas lá estará uma 'Pedrita' sem lesão, confiante, é isso que o mundo inteiro vai ver. E essa luta para mim é uma questão de honra. Para eu poder mostrar para aqueles que falaram que não era para eu estar ali, que ali não era o meu lugar, que ali é meu lugar, sim. E que não é só um lugar de mostrar luta e vitória, mas também de passar exemplos para o mundo inteiro", ressaltou.

"Porque, para mim, o UFC representa tudo isso. Não só os melhores lutadores, mas também você passar o exemplo da sua vida, a sua superação e tudo o que te levou até ali para você ser um guerreiro e nunca desistir e eu poder passar isso para o mundo inteiro também. (...) Esta luta será a minha verdadeira estreia no UFC. (...) Hoje estou mais madura, com a cabeça mais forte, com o psicológico muito mais forte, para estrear de verdade. (...) A luta da Valentina foi uma experiência e, se Deus quiser, e Ele quer, logo, logo, encontro a Valentina novamente", concluiu.