Topo

Esporte


Vida fora do UFC! Viscardi Andrade conta detalhes da experiência no MMA russo

Gaspar Bruno, do Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

2019-04-22T07:00:48

22/04/2019 07h00

Viscardi Andrade sofreu um grande baque na carreira em 2016. Suspenso pela USADA (agência antidoping americana), o atleta foi afastado também do Ultimate por tabela. No entanto, três anos depois, o brasileiro retomou as atividades no MMA em grande estilo - dessa vez, do outro lado do mundo, na Rússia. E, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, o lutador contou os detalhes dessa sua nova fase.

Mas nem tudo se encaixou perfeitamente em seu retorno ao esporte. Viscardi sofreu um revés ao aceitar uma luta com apenas duas semanas de antecedência. A derrota serviu para o brasileiro repensar a forma com que administrava a carreira e se preparar melhor. Foi aí que surgiu a oportunidade de lutar no 'Russian Cagefighting Championship'.

"A vida fora do UFC está caminhando bem. Ao contrário do que a maioria das pessoas acham, não existe só o UFC de grande evento. Diversos eventos espalhados pelo mundo que são quase tão grandes quanto. O UFC ainda é o maior do mundo, isso é indiscutível, mas têm grandes eventos rolando pelo mundo todo, pela Ásia, Europa, até nos próprios Estados Unidos. Estou muito contente de estar competindo nesse grande evento na Rússia. Eles eram tradicionais no boxe e de uns anos para cá eles caíram de cabeça no MMA", relatou Viscardi.

Em sua estreia na organização russa, Andrade já começou com o pé direito: vitória por nocaute no segundo round. A boa performance logo credenciou o brasileiro para um desafio ainda maior. Viscardi enfrentará o ex-campeão do Bellator Alexander Shlemenko na luta principal da sexta edição do evento.

"Com certeza vai ser um grande desafio enfrentar o Shlemenko, é um cara muito experiente, 57 vitórias no MMA, não é para qualquer um. Já lutou com todo mundo, mas sinto que agora é o meu momento e, por mais que eu vá lutar na casa dele, ele vai estar pressionado, carregando esse peso de estar fazendo a luta principal em casa. E eu vou usar isso a meu favor", analisou o brasileiro, antes de contar como é lutar em um país tão diferente.

"Lutar na Rússia é muito louco. Lá os caras respiram luta. Eu sempre fui fã de lutadores russos. Acho os caras sinistros. São uma das potências mundiais. Então eu, que sempre tive o sonho de lutar lá, estou realizando ele agora. Me sinto motivado por lutar lá. E, sobre a questão da torcida: não (sinto pressão). Não entendo nada que os caras falam mesmo (risos), então podem falar o que quiserem. Não vai afetar, não, vai até me motivar para mostrar um bom serviço", completou o atleta de 35 anos.

O confronto contra Shlemenko está agendado para o dia 4 de maio, na cidade de Chelyabinsk (RUS). De acordo com Viscardi, a expectativa da organização é que o card atraia cerca de 20 a 30 mil fãs na arena.

Mais Esporte