Topo

MMA


Ex-lutador do UFC admite agressão à esposa e é condenado nos EUA

AP Photo/Michael Thomas
Josh Copeland, o "Ursinho Carinhoso", acerta Ruslan Magomedov, mas perde por pontos Imagem: AP Photo/Michael Thomas

Ag. Fight

2019-05-23T08:00:56

23/05/2019 08h00

O peso-pesado Josh Copeland assumiu ter agredido sua esposa em um episódio de violência doméstica e foi condenado a dois anos de liberdade condicional nos Estados Unidos. Ex-lutador do UFC, 'Cuddly Bear' havia sido detido em fevereiro, depois de sua cônjuge, com quem tem um filho, chamar a polícia.

De acordo com a denúncia, o casal teve uma áspera discussão e a esposa de Josh deu vários tapas no rosto do lutador, que respondeu com agressões bem mais fortes e roubou o celular da vítima, impedindo-a de pedir socorro. Conforme publicou o site 'MMA Fighting' na época da prisão de Copeland, sua mulher estava bastante machucada e com o rosto sangrando quando os policiais chegaram.

O lutador havia sido acusado de quatro crimes: lesão corporal, violência doméstica, obstrução de telefone e abuso infantil - uma vez que as agressões aconteceram na presença do filho do casal. Como Copeland admitiu ser culpado das agressões, as outras acusações foram retiradas pelo juiz.

Para cumprir suas responsabilidades com a Justiça americana, Josh não poderá cometer outro crime pelos próximos 24 meses, sob pena de prisão. O juiz permitiu que ele viaje a trabalho durante o período da pena, uma vez que lutas de MMA podem requerer deslocamentos, mas ele terá de comparecer ao tribunal em 2021, quando a sanção se encerra, a fim de garantir sua liberação.

Copeland passou pelo UFC entre 2014 e 2015, mas não se saiu bem: perdeu as duas lutas que fez, contra Ruslan Magomedov e Jared Rosholt, e foi desligado da organização. 'Cuddly Bear' disputou a temporada dos pesos-pesados no PFL em 2018, mas perdeu na final para Philipe Lins, brasileiro que ganhou o prêmio de US$ 1 milhão - o equivalente, no câmbio atual, a R$ 4 milhões.