Topo

Esporte


Acusado de tentativa de homicídio, Vairelles permanece detido na França

28/12/2011 13h43

Paris, 28 dez (EFE).- A Corte de Apelação de Nancy rejeitou nesta quarta-feira colocar em liberdade provisória o atacante francês Tony Vairelles, e três de seus irmãos, acusados no final de outubro de tentativa de homicídio após uma troca de tiros na saída de uma discoteca da cidade.

Fontes judiciais indicaram à Agência Efe que decidiram deter os quatro envolvidos até o desenrolar do caso.

O grupo é acusado de ser o autor dos disparos, que foram feitos quando os quatro foram expulsos do local por volta das 3h (local) de domingo, dia 23 de outubro, por estarem completamente embriagados.

A emissora de televisão francesa "RTL" detalhou que, segundo a Polícia, Vairelles, que tem 38 anos e atualmente defende o Gueugnon, e seus acompanhantes brigaram com tacos de beisebol com os seguranças da discoteca, que responderam ao ataque com gás lacrimogêneo.

Ainda de acordo com os policiais, um integrante do grupo do atleta, foi então a buscar uma espingarda e atirou contra o pessoal da segurança, ferindo uma pessoa na perna, outra na mão e uma terceira nas costas, sem que sua vida corra perigo.

Guy Vairelles, pai do jogador, desmentiu nesta manhã no Palácio de Justiça de Nancy a versão divulgada pela imprensa, enquanto um primo do jogador, Ludovic Vairelles, acrescentou sua incredulidade diante da acusação, "porque jamais viu o atacante beber uma gota de álcool".

Vairelles começou a carreira no Nancy, e também jogou por Lens e o Lyon. Entre 1998 e 2000, foi convocado oito vezes para a seleção. EFE

mgr/as

Mais Esporte