Topo

Esporte

Luta, beisebol/softbol e squash disputam vaga nos Jogos Olímpicos de 2020

29/05/2012 14h25

Natalia Arriaga

São Petersburgo (Rússia), 29 mai (EFE).- O beisebol/softbol e o squash disputam uma vaga no programa esportivo dos Jogos Olímpicos de 2020, assim como a luta, que já é esporte olímpico, mas sairá deixará de ser em 2016 e terá que voltar a concorrer por um posto, anunciou nesta quarta-feira o COI.

A Comissão Executiva reunida em São Petersburgo selecionou esta relação de finalistas entre uma lista de oito aspirantes, que incluía o caratê, a escalada, o wakeboard, o wu-shu e a patinação.

A assembleia do organismo elegerá em setembro, na cidade de Buenos Aires, qual desses três esportes finalistas entrará nos Jogos Olímpicos de 2020.

A luta já é um esporte olímpico e está no programa dos Jogos de 2016, mas a Comissão Executiva propôs em fevereiro que deixasse a competição. Agora, o esporte concorre com outros dois e a decisão final será tomada pela assembleia.

Mark Adams, diretor de Comunicação do COI, explicou que os oito esportes fizeram hoje uma apresentação de 20 minutos por ordem alfabética e os membros da Comissão votaram depois, por um sistema de eliminação, para chegar aos finalistas.

Os eleitores tiveram que votar 11 vezes, porque houve empate em alguns descartes. Na primeira votação, foi eleita a luta com maioria absoluta de 8 sobre 14. O segundo eleito foi o beisebol/softbol, que chegou a disputar voto por voto com o caratê e ganhou por 9 a 5. O squash foi selecionado na terceira rodada de votações e se impôs sobre o wu-shu (3) e a escalada (2).

Houve dois esportes que não receberam votos em nenhum rodada: a patinação de velocidade e o wakeboard.

A luta faz parte do programa olímpico desde a primeira edição dos Jogos, em 1896, e a ameaça de exclusão foi considerada um ataque aos princípios das Olimpíadas pelas outras federações, que assinaram uma carta pedindo sua readmissão.

A Federação Internacional reagiu com rapidez com uma mudança de presidente e uma modificação de suas regras de competição, à qual acrescentou outros detalhes como a inclusão de mulheres em sua direção.

As federações de beisebol e softbol, que foram esportes olímpicos desde 1992 e 1996, respectivamente, até 2008, também foram premiadas. Os dois esportes decidiram no ano passado, assessorados pelo COI, se fundir em uma só federação e pedir o reingresso nos Jogos como único esporte com duas disciplinas: beisebol para os homens e softbol para as mulheres.

O grande desafio que as duas federações devem enfrentar agora é conseguir uma garantia de participação dos profissionais das grandes ligas de beisebol nos Jogos, algo complicado porque coincide com a temporada.

O squash, portanto, seria o único esporte realmente novo nos Jogos Olímpicos se finalmente for aprovado em setembro. Já chegou perto de conseguiur uma vaga em 2005 e em 2009, quando foram aceitos o golfe e o rugby.

Os Jogos podem ganhar, assim, um novo esporte de raquete, que se uniria ao tênis, ao tênis de mesa e ao badminton. O squash é praticado em mais de 180 países e entre seus defensores está o suíço Roger Federer.

O presidente da Comissão do Programa Olímpico, o italiano Franco Carraro, explicou que em setembro será votado primeiramente se os 25 esportes que o COI considera importantes são admitidos como tal, e depois será eleito um entre os três propostos hoje.

"Isto não é um jogo de futebol com dois tempos. Primeiro termina uma partido e depois começa a segundo, com o placar em zero a zero", comentou.

Mais Esporte