Esporte

Lorenzo quer paz com Rossi e diz ter "muito respeito" pelo companheiro

18/01/2016 14h18

Barcelona, 18 jan (EFE).- Atual campeão mundial da MotoGP, o espanhol Jorge Lorenzo (Yamaha) afirmou nesta segunda-feira que tem "muito respeito" por seu companheiro de equipe, o italiano Valentino Rossi, apesar da tensão na relação entre eles depois das polêmicas ocorridas no fim da última temporada.

"Eu tenho a mão estendida a todos os pilotos. O respeito sempre existe, porque primeiros somos pessoas e depois atletas que estão colocando a vida em risco. Tenho muito respeito por Valentino e por todos os pilotos em geral, sejam mais rápidos ou mais lentos. Quero me dar bem com todos se for possível, ainda mais com meu companheiro de equipe", afirmou o piloto.

Lorenzo e Rossi participaram hoje em Barcelona da apresentação da nova moto da equipe Yahama. Ambos trocaram um aperto de mãos, em uma imagem que selou a paz dentro da escuderia.

No entanto, na entrevista coletiva posterior ao evento, que foi realizada de forma individual, Rossi voltou a afirmar que o espanhol Marc Márquez (Honda) atuou em favor de Lorenzo no fim da última temporada, apesar de estar disposto a esquecer o incidente.

Já Lorenzo, por outro lado, reiterou que ele não teve nenhuma relação com o ocorrido no Grande Prêmio da Malásia, quando Márquez e Rossi se desentenderam durante uma ultrapassagem que terminou com a queda do espanhol. Pela manobra, Rossi foi punido e praticamente deixou a briga pelo título contra o companheiro de equipe.

"O que ocorreu em Sepang não teve nada a ver comigo. Se Márquez e Rossi quiserem, terão que solucionar entre eles, mas eu não me meto nisso aí", indicou Lorenzo, que diz se arrepender de apenas uma coisa no incidente. "Recriminei-o por ter feito com Márquez, mas já pedi desculpas por isso", lembrou.

Lorenzo também afirmou que está farto que a legitimidade de seu terceiro título na MotoGP seja colocado em dúvida. E criticou os jornalistas italianos que voltaram a citar uma suposta manipulação para que ele levantasse o troféu.

"O Mundial de 2015 foi vencido pelo piloto mais rápido e esse foi eu. Um Mundial no qual eu ganhei mais corridas e fiquei mais voltas na liderança. As estatísticas estão aí. Eu não tenho que me defender de nada. Eu não tive nem uma batida, nem um problema com outro piloto dentro da pista. Se Valentino tem algum tipo de ressentimento comigo, ele terá que lidar com isso", disse.

"As dúvidas se mereço ou não o campeonato são infundadas e vêm de fãs de Valentino. No mundo do motociclismo, Rossi é um personagem muito importante, parecido com (Michael) Jordan no basquete. Ele tem milhões de fãs e alguns deles não estão tendo respeito por gente como eu, que somos campeões do mundo e se limita a fazer muito bem nosso trabalho", destacou o espanhol.

"Infelizmente essa rivalidade que se vive nos estádios de futebol se transferiu aos circuitos, especialmente na Espanha e na Itália, e isso é algo que eu não gosto de ver", lamentou Lorenzo.

Sobre a próxima temporada, Lorenzo preferiu não fazer previsões e evitou até mesmo comentar mudanças técnicas, como o novo regulamento para os sistemas eletrônicos e sobre os novos pneus da Michelin.

"Ainda é muito cedo para saber onde cada piloto está. Nos testes da Malásia poderemos ter uma ideia mais clara", destacou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo