Topo

Esporte

Ex-lateral espanhol que enfrentou Brasil na Copa de 86 é preso por corrupção

David Cannon/Getty Images
Tomás Reñones em ação contra a Alemanha pela Eurocopa de 1988 Imagem: David Cannon/Getty Images

27/01/2016 19h05

Málaga (Espanha), 27 jan (EFE).- O ex-lateral espanhol Tomás Reñones, que disputou a Copa do Mundo de 1986 pela seleção do país, foi detido nesta quarta-feira (27) após ter sido condenado a cinco anos e seis meses de prisão por seu envolvimento em um caso de corrupção na Prefeitura de Marbella, na região de Andaluzia.

Titular da seleção espanhola que perdeu para o Brasil por 1 a 0 na fase de grupos do Mundial de 1986, Reñones foi prefeito interino de Marbella entre 29 de março e 21 de abril de 2006, depois da prisão da ex-prefeita Marisol Yagüe.

O ex-jogador foi condenado a três anos e meio de prisão por um crime contínuo de suborno passivo e outros dois anos por fraude. Além disso, ele ficará inelegível por causa de um delito de prevaricação administrativa.

Reñones fez sucesso como lateral-direito do Atlético de Madrid, onde jogou por 12 temporadas. Com o clube, ele conquistou um Campeonato Espanhol, quatro Copas do Rei e uma Supercopa da Espanha. Na seleção do país, o ex-jogador disputou 19 partidas, incluindo a Copa de 86 e a Eurocopa de 1988, na Alemanha.

Reñones se entregou voluntariamente às autoridades após o fim do prazo de dez dias dado para o início do cumprimento das sentenças. Ontem, a Justiça tinha alertado aos condenados que eles tinham 24 horas para ingressarem em um centro penitenciário ou decretaria ordem de busca e captura contra os envolvidos.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte