Esporte

Dirigente português desmente obrigação de escalar chineses na 2ª divisão

11/02/2016 17h53

Lisboa, 11 fev (EFE).- O ex-árbitro e presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, garantiu nesta quinta-feira que o patrocínio da multinacional chinesa Ledman à segunda divisão do campeonato nacional, não incluirá a obrigatoriedade de utilização de atletas do país asiático.

De acordo com o agora dirigente, em evento que marcou a apresentação da parceria, a ideia é realizar um intercâmbio, mas sem que haja alguma imposição da escalação ou inscrição de jogadores nascidos na China.

O sindicato de jogadores profissionais de Portugal e alguns dirigentes de clubes da segunda divisão criticaram abertamente a medida, inicialmente divulgada como obrigação, mas que segundo a Liga, é opcional.

A princípio, dez jogadores teriam que ser inscritos pelos clubes que participam da competição, além de, três auxiliares-técnicos chineses.

Proença não divulgou o valor total do patrocínio da empresa de produtos eletrônicos, que vigorará até 2019, mas admitiu que o valor supera o que já foi arrecadado nos últimos 15 anos pela competição de acesso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo