Esporte

PSG vence Chelsea pela Liga dos Campeões e derruba invencibilidade de Hiddink

16/02/2016 19h38

Paris, 16 fev (EFE).- O Paris Saint-Germain saiu na frente na terceira eliminatória consecutiva com o Chelsea na Liga dos Campeões, agora pelas oitavas de final, ao vencer na ida por 2 a 1, no estádio Parc des Princes, quebrando a invencibilidade do técnico holandês Guus Hiddink, na segunda passagem pelo clube inglês.

Os anfitriões abriram o placar aos 39 da etapa inicial, com o atacante sueco Zlatan Ibrahimovic. que não fazia gol em mata-mata da 'Champions' desde 18 de fevereiro de 2014, quando marcou duas vezes a vitória do PSG sobre o Bayer Leverkusen, pela ida das oitavas de final. De lá para cá, foram cinco jogos em branco pela principal competição do Velho Continente.

O empate dos visitantes veio pouco depois, aos 46, com o nigeriano John Obi Mikel, que tinha sido coadjuvante no primeiro gol do jogo, ao desviar cobrança de falta do camisa 10 adversário. Dessa vez, o volante estufou para as redes após cobrança de escanteio de Willian, resvalada de cabeça por Diego Costa.

Aos 33 do segundo tempo, se aproveitando de lindo lançamento do argentino Ángel Di María, o atacante uruguaio Edinson Cavani, que havia entrado em campo quatro minutos antes, mostrou o camisa 9 perigoso que é, e decretoua vitória da equipe da capital francesa.

O resultado derruba série de 11 jogos invicto do técnico do Chelsea, que substituiu no meio de dezembro o português José Mourinho, quando a equipe londrina estava muito perto da zona de rebaixamento no Campeonato Inglês. Desde então, contando também jogos da Copa da Liga, a equipe obteve cinco vitórias e seis empates.

O novo encontro entre PSG e Chelsea acontecerá no dia 9 de março, no estádio Stamford Bridge, em Londres. O time francês joga pelo empate, mas também pode perder por 3 a 2, 4 a 3, e assim por diante. Os 'Blues', por sua vez, precisam vencer por 1 a 0 ou a partir de dois gols de diferença. Se devolver o placar de hoje, o time inglês leva o duelo para a prorrogação.

Para o jogo de ida, os dois técnicos trouxeram surpresas para o duelo. Laurent Blanc apostou em deixar o Cavani no banco, deixando Lucas entre os titulares. Hiddink, por sua vez, optou por Oscar entre os reservas e uma zaga formada por Gary Cahill e Baba Rahman, com Branislav Ivanovic e Cesar Azpilicueta nas laterais.

Além do ex-meia-atacante do São Paulo, Marquinhos, Thiago Silva, Maxwell - que ultrapassou Kaká e se tornou o segundo jogador do país com mais jogos pela Liga dos Campeões - e Thiago Motta atuaram. Nos 'Blues', Willian começou jogando e Oscar acabou entrando na etapa complementar.

Os primeiros instantes ressaltaram a tônica dos dois confrontos eliminatórios anteriores que PSG e Chelsea fizeram, com o mandante tomando a iniciativa e o visitante mais encolhido. Hoje, no Parc des Princes, desde o primeiro minuto a equipe da casa buscou "abafar" o rival.

Aos 5, em bomba disparada da entrada da área, Lucas quase fez um golaço. Pouco depois, Ibra foi quem assustou, em cobrança de falta com muita força, que passou por cima do gol. No lance seguinte, Maxwell disparou pela direita, jogou a bola para o meia da área, mas ninguém conseguiu dar o toque para as redes.

Depois de 12 minutos de pressão, o Chelsea enfim entrou na partida, buscando sair em velocidade, inclusive com mudança no sistema defensivo, já que Rahman passou a jogar de lateral-esquerdo, Azpilicueta foi para a direita e Ivanovic para a zaga.

Aos 22, o ganês disparou e acertou cruzamento na medida para Diego Costa, que ganhou no alto e testou a bola em direção ao contrapé de Trapp. O goleiro francês, no entanto, se esticou todo, deu um tapinha e a tirou por cima do gol, em linda defesa.

Os dois times seguiram trocando alguns golpes, até que aos 39 minutos do primeiro tempo, Ibrahimovic foi para outra cobrança de falta da entrada da área, encheu o pé e contou com desvio em Mikel para estufar as redes do Chelsea e abrir o placar da partida.

A euforia dos donos da casa durou pouco, no entanto, já que aos 46, Willian cobrou escanteio, Diego Costa ganhou no alto do próprio Ibra e escorou para Mikel, que fuzilou de primeira, vencendo Trapp e igualando o marcador na capital parisiense.

A etapa complementar começou absolutamente eletrizante, com PSG e Chelsea de olho em conseguir mais gols. Aos 5, Di María soltou um foguete da intermediária, obrigando Courtois a se esticar todo para espalmar a bola para fora. Dois minutos depois, o belga brilhou outra vez, parando ação de Ibrahimovic, com outra defesa.

A pressão do time parisiense seguiu crescente, com as chances sendo criadas em sequência. Aos 15, Ibra ajeitou, Lucas invadiu a área e bateu forte, mas em cima de Courtois, que parou outra vez o ataque adversário. Três minutos depois, Matuidi pegou sobra quase na pequena área e encheu o pé, mas a bola explodiu na zaga.

O Chelsea pouco atacava, mas aos 30 deu susto, quando Oscar ganhou de David Luiz e, quando ficaria em excepcional condição de marcar, acabou bloqueado por Trapp, que saiu desesperadamente do gol, como um líbero.

Pouco depois, aos 33, deu certo a primeira substituição de Laurent Blanc, colocando Cavani no lugar de Lucas. O camisa 9 recebeu lançamento preciso de Di María, no lado direito da área, e encheu o pé para vencer Courtois e recolocar os anfitriões na frente.

Outro que entrou em campo no decorrer do jogo, Javier Pastore, apareceu bem aos 38, dando passe açucarado para Marquinhos, que invadiu a área e tentou acertar no canto do gol defendido por Courtois. Cahill, contudo, se esticou todo e impediu que a finalização chegasse ao gol.

Já nos acréscimos, Ibra teve a oportunidade de deixar o Paris Saint-Germain com a mão na vaga. O centroavante sueco foi lançado quase que na pequena área e deu leve toque na bola, mas o goleiro belga do Chelsea estava esperto para impedir o terceiro.



Ficha técnica:.

Paris Saint-Germain: Trapp; Marquinhos, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Matuidi (Pastore), Thiago Motta e Verratti (Rabiot); Di María, Lucas (Cavani) e Ibrahimovic. Técnico: Laurent Blanc.

Chelsea: Courtois; Azpilicueta, Ivanovic, Cahill e Rahman; Mikel, Fàbregas, Willian, Hazard (Oscar) e Pedro; Diego Costa. Técnico: Guus Hiddink.

Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Espanha), auxiliado pelos compatriotas Roberto Alonso e Juan Yuste.

Gols: Ibrahimovic Cavani (Paris Saint-Germain) Mikel (Chelsea)

Cartões amarelos: Ibrahimovic David Luiz Lucas (Paris Saint-Germain) Mikel Pedro (Chelsea)

Estádio: Parc des Princes, em Paris (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo