Esporte

São Paulo joga mal e é batido em casa pelo The Strongest na Libertadores

17/02/2016 21h28

São Paulo, 17 fev (EFE).- O São Paulo foi surpreendido nesta quarta-feira, perdeu para o The Strongest por 1 a 0, pela primeira rodada do grupo 1 da Taça Libertadores, e com isso os representantes brasileiros seguem sem vencer na fase de grupos da competição, em dois jogos disputados.

O placar da partida realizada no Pacaembu - o Morumbi passa por reforma no gramado - foi definido pelo centroavante uruguaio Matías Alonso, aos 16 minutos do segundo tempo, após passe do meia Alejandro Chumacero, que atuou no Sport Recife durante o ano de 2013.

A derrota do Tricolor sucede ao empate do Palmeiras com o River Plate, do Uruguai, em 2 a 2, pelo grupo 2, na estreia do Brasil na fase de grupos da competição. O São Paulo já havia entrado em campo antes, para dois jogos com o Universidad César Vallejo, do Peru, pela fase preliminar, em que obteve uma vitória e um empate.

A torcida do time do Morumbi não perdoou a equipe, mesmo antes do apito final, com muitas vaias, cantos contra a o time e jogadores específicos. O argentino Ricardo Centurión e o meia Michel Bastos foram os dois mais perseguidos enquanto a bola rolou.

A primeira rodada do grupo 1 será completada com duelo entre Trujillanos e River Plate, na quinta-feira da próxima semana, na Venezuela. O time do Morumbi voltará a campo no dia 10 de março, em visita ao Monumental de Núñez, para encarar o atual campeão da competição.

Para o jogo desta quarta-feira, o técnico argentino Edgardo Bauza manteve o criticado zagueiro Lucão, e como se esperava, optou por voltar a escalar Alan Kardec, que se recuperou de amigdalite, como centroavante. No Strongest, o técnico Mauricio Soria abriu mão do versátil Diego Bejarano no meio, para alinhar três zagueiros.

O começo foi animador para o São Paulo, com Ganso tendo oportunidade logo no primeiro minuto. Aos 6, no entanto, foi o Strongest que ficou muito perto de marcar, quando Escobar pegou a bola na intermediária e soltou uma bomba, que explodiu na trave direita de Denis.

Aos 19, veio a primeira grande oportunidade no jogo, quando Centurión cobrou escanteio da direita na cabeça de Lucão, que testou com força, parando em ótima defesa do goleiro Vaca. Na sobra, o argentino jogou de novo na área, Kardec tentou finalizar, mas a bola desviou em Pereyra e saiu pela linha de fundo.

Centurión apareceu outra vez aos 31, depois de saída errada da zaga do time boliviano. Ao tentar arrancar pela direita, no entanto, o atacante tropeçou na bola e foi desarmado. A defesa deu outra "entregada" e devolveu para o argentino, que bateu cruzado, sem finalizar ou cruzar, sendo bastante vaiado pela torcida.

O contestado camisa 20 do Tricolor apareceu outra vez, instantes depois, finalizando da entrada da área, parando em defesa de Vaca. Aos 37, o Strongest tentou assustar de novo, em finalização de Castro, mas Denis fez defesa segura.

Para a etapa complementar, Edgardo Bauza ousou, tirando o volante Hudson para lançar Calleri ao lado de Alan Kardec no ataque. Apesar da postura mais ofensiva, o São Paulo teve dificuldades para criar jogadas de ataque mais incisivas nos primeiros minutos.

A primeira oportunidade dos anfitriões da partida veio apenas Aos 14 minutos, em cobrança de escanteio executada por Michel Bastos, pela esquerda. Paulo Henrique Ganso subiu alto, mas testou por cima do gol.

Dois minutos depois, o Tricolor pagou pela falta de efetividade, em jogada que começou com escanteio cobrado para a intermediária ofensiva do The Strongest, seguido de bola em profundidade para Chumacero, que rolou para o meio da área e achou Alonso, autor do gol, em cabeçada.

Tentando não mostrar abalo, o Tricolor até tentou responder rápido, aos 21, quando Ganso deu lindo passe para Michel Bastos, que fuzilou de dentro da área, em bola que morreu no lado de fora das redes do gol do The Strongest.

Mesmo com novo fôlego no ataque, já que Rogério e Kieza entraram nos lugares de Centurión e Alan Kardec, após a abertura de placar, o time brasileiro seguiu sem dar grandes sustos no adversário, que se fechava cada vez mais na defesa.

Nos minutos finais, com o São Paulo desorganizado e sem inspiração, a torcida virou protagonista da partida, com cobranças de raça, xingamentos a jogadores, como Michel Bastos.

Enquanto isso, aos 40 minutos, em rara ação veloz dos donos da casa, Kieza recebeu livre na entrada da área, carregou, mas bateu muito fraco, à direita do gol defendido por Vaca. Depois disso, a tentativa de pressão tricolor foi em vão e derrotado, coube ao tricolor deixar o campo muito vaiado.



Ficha técnica:.

São Paulo: Denis; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Mena; Hudson (Calleri), Thiago Mendes, Michel Bastos, Ganso e Centurión (Rogério); Alan Kardec (Kieza). Técnico: Edgardo Bauza.

The Strongest: Vaca; Maldonado, Pereyra e Fernando Martelli; Chumacero, Veizaga, Castro (Bejarano), Escobar e Cristaldo; Ramallo (Torres) e Alonso (Neumann). Técnico: Mauricio Soria.

Árbitro: Mario Díaz de Vivar (Paraguai), auxiliado pelos compatriotas Carlos Cáceres e Milciades Saldivar.

Gol: Alonso (The Strongest)

Cartões amarelos: Alan Kardec, Rodrigo Caio e Calleri (São Paulo); Veizaga, Ramallo, Torres e Maldonado (The Strongest).

Estádio: Pacaembu, em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo