Esporte

CAS rejeita pedido de príncipe de impor medidas cautelares na eleição da Fifa

24/02/2016 14h59

Redação Central, 24 fev (EFE).- A Corte Abritral do Esporte (CAS) informou nesta quarta-feira que rejeitou o pedido do príncipe jordaniano Ali bin al-Hussein para que fossem impostas medidas cautelares para garantir a integridade do processo de votação nas eleições para a presidência da Fifa, marcada para esta sexta-feira.

O príncipe jordaniano, um dos cinco candidatos, junto ao xeque bareinita Salman bin Ebrahim al-Khalifa, o suíço Gianni Infantino, o francês Jerome Champagne e o sul-africano Tokyo Sexwale, pediu na terça-feira à Fifa que as cabines eleitorais fossem transparentes para evitar que os presidentes das federações, pressionados pelas confederações, pudessem fotografar seu voto.

O Comitê Eleitoral negou o pedido no último dia 15, o que levou Hussein a recorrer à CAS. Ele inclusive solicitou que as eleições fossem anuladas, segundo seus advogados Francis Szpiner e Renaud Semerdjian. A Corte decidiu nesta terça rejeitar o pedido

O príncipa jordaniano também pediu o adiamento das eleições mesmo caso a CAS não admitisse seu pedido, algo que o tribunal considera já ser irrelevante.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo