Esporte

Corinthians sofre diante de marcação forte, mas vence Santa Fé por 1 a 0

02/03/2016 23h43

São Paulo, 2 mar (EFE).- A boa marcação montada pelo uruguaio Gerardo Pelusso deu bastante trabalho, mas o Corinthians conquistou nesta quarta-feira a segunda vitória pela Taça Libertadores, a segunda por 1 a 0, desta vez diante do Independiente Santa Fé, em Itaquera, e reassumiu a liderança do grupo 8.

Depois de ter batido o Cobresal no Chile, o Timão derrotou o atual campeão da Copa Sul-Americana e foi a seis pontos, dois a mais que o Cerro Porteño. O time paraguaio, aliás, é o próximo adversário a equipe paulista, no Defensores del Chaco, na próxima quarta.

A partida na Arena Corinthians foi de muita dificuldade para os anfitriões, ainda invictos na temporada, mas que não tiveram muitas chances de gol. Quem garantiu o triunfo foi Guilherme, com gol de cabeça no começo do segundo tempo.

O técnico Tite continua sem poder contar com o meia Elias, machucado, e com o zagueiro Fabián Balbuena, contratado recentemente e que ainda está realizando trabalho de condicionamento físico. Com isso, repetiu pela primeira vez o esquema da partida anterior, em que bateu o Oeste por 1 a 0 pelo Campeonato Paulista, no último domingo.

O goleiro Cássio, que se recuperou de um edema na coxa esquerda, e o zagueiro Felipe, com um problema gastrointestinal, eram dúvidas, mas foram a campo normalmente.

No Santa Fé, o experiente meia Omar Pérez está machucado, mas foi relacionado para a partida pela liderança que exerce há alguns anos no elenco. A outra baixa foi o zagueiro Yulián Anchico, também contundido.

Como esperado, o jogo foi bastante duro para o Corinthians, que teve dificuldades na criação e raramente finalizou com maior espaço. Aos oito minutos do primeiro tempo, depois de cobrança de escanteio, Rodriguinho ficou com a sobra na grande área, ajeitou e chutou por cima.

Uma alternativa para o atual campeão brasileiro era escapar pelas pontas, como aconteceu aos 18 minutos. Guilherme desceu pela direita e cruzou para Lucca, que escorou buscando André. O centroavante vinha livre, mas não alcançou.

Como a criação não funcionava devido à forte marcação do time colombiano, o Timão tentou se aproveitar de algum erro do adversário. Aos 23, Tesillo "brigou" com a bola perto da área, Giovanni Augusto roubou, avançou e deu um leve toque para tirar do goleiro Zapata. Balanta apareceu e evitou que o placar fosse aberto.

O vencedor da Libertadores de 2012 passava mais tempo no ataque, mas Zapata trabalhava pouco. Aos 34, Lucca levantou, Rodriguinho completou e acertou a defesa.

Pouco exigido na primeira etapa até então, Cássio apareceu duas vezes em pouco tempo, aos 37 e aos 40 minutos. Na primeira, Gómez chutou de fora, e o goleiro teve trabalho após desvio em Felipe; na segunda, Seijas encheu o pé, o camisa 12 bateu roupas, mas pegou logo em seguida.

Na volta do vestiário, o Corinthians tentou sufocar, mas as dificuldades eram as mesmas. Aos cinco minutos do segundo tempo, Giovanni Augusto levantou da ponta direita mirando André, mas Zapata saiu para dividir com o centroavante e segurou.

O que era alternativa acabou se tornando prioridade, e o hexacampeão brasileiro passou a abusar do chuveirinho. Ia dando errado, a defesa ia levando sempre a melhor, mas a situação mudou aos 17. Rodriguinho recebeu de Fagner e cruzou na medida para Guilherme, sozinho na pequena área, cabecear no canto direito.

Passados quase 65 minutos de partida, o Santa Fé enfim se lançou ao ataque, enquanto o Corinthians buscava um contragolpe. Aos 26, Seijas mandou para a área da esquerda e Cássio ia se complicando pelo alto, mas segurou embaixo.

Se no lance anterior o goleiro quase se complicou sozinho, aos 36 ele realizou uma daquelas defesas que o consagram como ídolo da fiel torcida. Seijas cobrou falta e Tesillo cabeceou para grande intervenção de Cássio. Contudo, o brilho da jogada foi ofuscado porque o zagueiro do Santa Fé estava impedido.

Nos instantes finais, o Timão administrou o resultado tocando a bola no campo de ataque. A equipe da casa ainda teve uma última oportunidade, em cabeceio de Danilo, mas a bola saiu, e o placar ficou mesmo em 1 a 0.



Ficha técnica:.

Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique (Edílson); Rodriguinho, Guilherme (Willians), Giovanni Augusto e Lucca; André (Danilo). Técnico: Tite.

Independiente Santa Fé: Zapata; Otálvaro (Soto), Mina, Tesillo e Balanta; Gordillo, Roa (Rivas) e Gómez (Otero); Seijas e Perlaza; Ibargüen. Técnico: Gerardo Pelusso.

Árbitro: Mauro Vigliano (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Juan Belatti e Cristian Navarro.

Cartões amarelos: Fagner (Corinthians); Gordillo (Santa Fé).

Gol: Guilherme (Corinthians).

Estádio: Arena Corinthians, em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo