Esporte

Di Stéfano e Francisco Gento são eleitos os melhores da história da Champions

04/03/2016 13h02

Paris, 4 mar (EFE).- O argentino Alfredo di Stéfano e o espanhol Francisco Gento, ambos ex-jogadores do Real Madrid, foram apontados nesta sexta-feira pelo jornal francês "L'Équipe" como os dois melhores jogadores da história da Liga dos Campeões, antes chamada de Copa da Europa, criada em 1955.

Di Stéfano, em primeiro lugar, e Gento, em segundo, fazem parte de um histórico elaborado em função de vários critérios e levando em conta as estatísticas, os títulos e os prêmios, de acordo com o periódico. Entre os dez primeiros colocados do ranking, seis são ex-atletas do Real.

Também estão no top-10 o italiano Paolo Maldini (Milan), o argentino Lionel Messi (Barcelona), o português Cristiano Ronaldo (Real Madrid), o inglês Phil Neal (Liverpool), o húngaro Ferenc Puskás (Real Madrid), o hispânico-argentino Héctor Rial (Real Madrid), o alemão Gerd Müller (Bayern de Munique) e o espanhol Raúl González (Real Madrid), nessa ordem.

O Real Madrid é o clube mais representado, com 28 jogadores, seguido por Barcelona (19), Milan (18), Bayern de Munique (13), Juventus (11), Liverpool (11), Ajax (10), Manchester United (10), Chelsea (8), Inter de Milão (8), Olympique de Marselha (5), Benfica (3), Monaco (3), Valencia (3) e Arsenal (2).

Por nacionalidades, a Espanha ocupa o topo da lista, com 23 jogadores entre os 100 melhores, seguida por Itália (14), Alemanha (10), Inglaterra (10), Holanda (10), França (8), Portugal (6), Brasil (4) e Argentina (3), entre outros. São 13 goleiros, 27 defensores, 31 meio-campistas e 29 atacantes.

Entre os brasileiros, o mais bem colocado é o ex-lateral Roberto Carlos, que venceu a 'Champions' pelo Real Madrid em 1998, 2000 e 2002 e aparece em 27º lugar. O segundo melhor é Daniel Alves (54º), campeão em 2009, 2011 e 2015 pelo Barcelona, seguido por Kaká (62º) e Mazzola (74º).

O próprio jornal ressalta que se tentou fazer uma classificação que responda à soma de pontos de uma série de critérios, como os títulos conquistados, as finais disputadas e os prêmios individuais recebidos.

"Estabelecer uma classificação de jogadores que brilharam na Copa da Europa (até 1992) e na Liga dos Campeões (desde 1992) é necessariamente difícil, dado que as épocas, as maneiras de jogar e as posições são diferentes", disse o 'L'Équipe'.

Dessa maneira, o jornal justifica a posição baixa de atletas como o alemão Franz Beckenbauer (30º), o holandês Marco Van Basten (51º) e o francês Zinedine Zidane (70º) ou mesmo a ausência de grandes nomes no top-100, como Neymar, Rivaldo, Ronaldo, Romário e Ronaldinho Gaúcho, além de Ruud Gullit, David Beckham e Zlatan Ibrahimovic, entre outros.

Tampouco figuram lendas como Pelé, que nunca jogou em clubes europeus, e Diego Maradona, que não se destacou na Liga dos Campeões quando atuou por Napoli, Barcelona ou Sevilla.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo