Esporte

Palmeiras vacila, cai diante do Nacional e perde liderança do grupo 2

09/03/2016 23h52

São Paulo, 9 mar (EFE).- O Palmeiras vacilou, principalmente, no primeiro tempo, e foi derrotado nesta quarta-feira pelo Nacional por 2 a 1, em pleno Allianz Parque, pela terceira rodada do grupo 2 da Taça Libertadores, que vai ficando cada vez mais embolado.

O time uruguaio balançou as redes aos 37 minutos da etapa inicial com o atacante Nico López, e três minutos depois com o meia Leandro Barcia. Pouco depois, o lateral-direito Jorge Fucile foi expulso, deixando o Verdão em vantagem numérica.

Com um a mais por mais de 45 minutos, a única coisa que os donos da casa conseguiram foram descontar o marcador, ainda antes do intervalo, com Gabriel Jesus. Nos acréscimos da etapa final, o atacante brasileiro Léo Gamalho, ex-Avaí, também recebeu cartão vermelho, deixando a equipe de Montevidéu com 9 em campo.

Com o resultado, o Nacional, que ainda não tinha vencido pela competição, chegou aos cinco pontos, assumindo a liderança isolada da chave, com um ponto a mais que o Palmeiras. O Rosario Central, que mais cedo bateu o River Plate uruguaio por 4 a 1, chegou aos quatro pontos e deixou o adversário com dois.

O time paulista voltará a campo na quinta-feira da próxima semana, para encarar o mesmo rival de hoje, mas confronto marcado para acontecer em Montevidéu.

Para o jogo desta quarta-feira, o principal desfalque do Verdão foi o técnico Marcelo Oliveira, expulso durante a vitória sobre o Rosario Central. Jogador esperado para a partida, o atacante paraguaio Lucas Barrios não se recuperou totalmente de lesão e ficou fora até do banco.

No Nacional, o técnico Gustavo Múnua não teve à disposição os zagueiros Diego Polenta, vetado por lesão, e Erick Cabaco, suspenso. Com isso, dois ex-palmeirenses, o volante Sebastián Eguren e o Mauricio Victorino formaram a dupla de zaga.

Logo no primeiro minuto, um susto, quando Porras e Ramírez subiram para cabecear uma bola e acabaram se chocando cabeça a cabeça. O primeiro, volante da equipe uruguaia, chegou a ficar desacordado, assustando os demais companheiros, precisando de atendimento médico mais demorado.

Aos 5 minutos, todo o Nacional ficou tonto, quando Dudu entrou na área, bateu cruzado sem força, mas Conde rebateu. Porras tentou afastar, acertou o rosto do goleiro e na sequência também levou bolada. O lance, contudo, foi invalidado pela arbitragem, comandada pelo chileno Enrique Osses, por causa de um impedimento de Cristaldo.

O Palmeiras só voltou a ameaçar efetivamente aos 23 minutos, quando Cristaldo foi acionado na esquerda, levou até perto da linha de fundo e bateu cruzado. Conde socou para a entrada da área, onde Dudu recuperou e encheu o pé, finalizando por cima do gol do Nacional.

Os donos da casa seguiram insistindo, mas falhando nas finalizações. Aos 31, Gabriel Jesus foi lançado na esquerda, disparou para vencer Fucile na corrida, só que na hora de bater, não conseguiu colocar força na bola, parando em defesa tranquila do goleiro adversário.

O torcedor palmeirense foi à loucura aos 35, quando Fernández foi buscar uma bola quase na linha de fundo e ajeitou para Nico López, praticamente livre na área. O camisa 9 emendou de primeira, de calcanhar, em bola que rolou mansamente, até acertar a travada. Depois disso, a zaga afastou o perigo.

Não houve nada, nem ninguém, para salvar os anfitriões aos 37, quando Barcia cruzou da direita, a zaga não conseguiu cortar, e permitiu que a bola chegasse a López, que driblou Fernando Prass e bateu para o fundo das redes, abrindo o placar.

Aos 40, a defesa do Verdão cochilou outra vez, deixando Barcia livre na intermediária. O meia-atacante invadiu a área e tocou na saída do goleiro brasileiro, ampliando para o Nacional.

Três minutos após o segundo gol, o time uruguaio acabou ficando com um a menos em campo, quando Fucile fez falta em Gabriel Jesus, recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, acabou sendo expulso por Enrique Osses.

Aos 48 minutos, o jovem atacante, responsável por deixar o adversário em inferioridade numérica, ainda garantiu que o Verdão fosse para o intervalo um gol atrás do placar, quando recebeu na área, driblou Conde e bateu para o fundo das redes.

O segundo tempo começou com o Palmeiras mais atrevido, buscando intensamente o empate, contra um adversário muito fechado no campo de defesa. Aos 3 minutos, Cristaldo pegou sobra de bola na área, mas finalizou mal, para fora.

Pouco depois, aos 10, Lucas acertou cruzamento preciso, na cabeça de Vítor Hugo, que subiu alto e testou por cima do gol do time uruguaio, para desespero da torcida que lotou o Allianz Parque.

O clima da partida foi esquentando cada vez mais. Aos 28 minutos do segundo tempo, chegou a acontecer empurra-empurra entre o goleiro Conde e alguns outros jogadores do Nacional, e os palmeirenses Dudu, no primeiro momento, e Vítor Hugo, na sequência. Apenas o camisa 1 do time de Montevidéu foi advertido, com cartão amarelo.

Aos 31, os donos da casa voltaram a levar perigo contra o retrancado adversário. Robinho recebeu na intermediária, soltou a bomba, e, mesmo contando com ajuda do "montinho-artilheiro", acabou parando na defesa de Conde.

Nos instantes finais, o Nacional soube controlar o relógio, com muita cera, é verdade, mas conseguiu evitar que o Palmeiras levasse perigo. Aos 44, Vítor Hugo, principal arma ofensiva, em meio a tantos cruzamentos, tentou de cabeça mais uma vez, parando em outra defesa do goleiro adversário.

Aos 47, Léo Gamalho, que havia entrado em campo seis minutos antes, acertou Egídio no campo de ataque e foi expulso de maneira direta, deixando a equipe de Montevidéu com dois a menos, nos últimos minutos do duelo.

A blitz verde teve último ato aos 49 minutos, quanto até Fernando Prass foi para a área, tentando marcar. Após cruzamento da direita, a bola sobrou na esquerda para Lucas, que dominou e soltou a bomba, acertando a trave esquerda de Conde.



Ficha técnica:.

Palmeiras: Fernando Prass; Lucas, Thiago Martins, Vítor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Egídio), Jean (Allione) e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus e Cristaldo (Alecsandro). Técnico: Marcelo Oliveira.

Nacional: Conde; Fucile, Eguren, Victorino e Espino; Porras, Romero e Ramírez; Barcia (Carballo), López (Léo Gamalho) e Fernández (Cabrera). Técnico: Gustavo Munúa.

Árbitro: Enrique Osses (Chile), auxiliado pelos compatriotas Carlos Astroza e Christian Schiemann.

Gols: Gabriel Jesus (Palmeiras); López e Barcia (Nacional).

Cartões amarelos: Zé Roberto, Thiago Martins e Egídio (Palmeiras); Fucile, Eguren, Fernández, Conde, Romero e López (Nacional)

Cartões vermelhos: Fucile e Léo Gamalho (Nacional).

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo