Esporte

Dirigente venezuelano extraditado aos EUA consegue liberdade provisória

10/03/2016 20h20

Nova York, 10 mar (EFE).- Um juiz de Nova York concedeu nesta quinta-feira liberdade provisória sob uma fiança de US$ 7 milhões ao ex-presidente da Federação Venezuelana de Futebol Rafael Esquivel, extraditado aos Estados Unidos por acusações de corrupção no caso Fifa.

Esquivel, que terá que pagar em dinheiro US$ 2 milhões do total da fiança, deve permanecer em prisão domiciliar com vigilância constante, entre outras medidas, informaram à Agência Efe fontes do tribunal do Brooklyn responsável pelo caso.

Detido na Suíça há nove meses por suposto envolvimento em um caso de corrupção na Fifa, ele foi extraditado na segunda-feira aos Estados Unidos. Na terça-feira, em sua primeira audiência perante o juiz Raymond J. Dearie, Esquivel se limitou a se declarar "inocente".

O também ex-vice-presidente da Conmebol, de 69 anos, desistiu em 26 de fevereiro da apelação interposta em Zurique (Suíça) na qual se opunha a ser entregue aos EUA, e no mesmo dia as autoridades suíças autorizaram sua extradição.

O dirigente foi detido em maio do ano passado em Zurique depois que as autoridades americanas o acusaram de aceitar propinas milionárias em relação à comercialização de direitos de transmissão de edições da Copa América.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo